by /0 comments

2014 começa com filas para garantir matrículas em escolas

Em pelo menos três Estados – Roraima, Alagoas e Rio Grande do Norte – pais acamparam na calçada para tentar uma vaga para os filhos

Acampamentos e filas para garantir a matrícula em creches e escolas públicas marcaram o início de 2014 em pelo menos três estados, informam jornais de Roraima, Alagoas e Rio Grande do Norte.

No último sábado, dezenas de pais acamparam em frente às escolas estaduais de Boa Vista, onde as matrículas vão até o dia 17 de janeiro. Nas 377 escolas da rede estadual de Roraima são ofertadas 13.939 vagas.

Segundo o jornal Folha de Boa Vista, filas se formaram nas escolas Euclides da Cunha, Ayrton Senna, Camilo Dias, Ana Libória, Severino Cavalcante e outras localizadas nas zonas Oeste e Sul.

A manicure Rosalina Mendes disse que o problema se repete todos os anos. “Era para o governo se organizar e manter uma central única de matrículas, evitando que todos os anos centenas de pais fiquem acampados em frente as escolas. Infelizmente, é necessário ser desta forma, pois caso contrário não conseguiremos vaga para nossos filhos”, afirmou ao jornal.

Também na fila, o office-boy Geraldo Silva criticou o governo estadual. “É uma situação humilhante, mas se não fizer este esforço minha filha terá que estudar em um bairro mais distante e representará um gasto a mais, já que meu emprego é próximo de nossa residência”, disse.

A assessoria de imprensa da Secretaria de Educação disse que as filas são desnecessárias, pois há vagas nas escolas para atendimento da demanda.

Em Maceió, milhares de pais passaram o final de semana nos portões das escolas públicas municipais em busca de vagas para os filhos. O jornal Gazeta do Alagoas informou que muitas unidades não oferecem vagas para novos alunos por falta de estrutura.

Segundo a Secretaria Municipal de Educação (Semed), são ofertadas 8.800 vagas.

A empregada doméstica Andréa Paulino saiu de sua casa às 6 horas. “Eu tentei na Benedito de Lyra, mas não há vagas. Então resolvi tentar na Frei Damião, que amigos me contaram ser a única com vaga para essa série. Levei a manhã toda e ainda tenho que ir trabalhar. Já para o meu filho, que deve começar o 7º ano, ainda não consegui uma vaga”, disse ao jornal.

Em Mossoró, no Rio Grande do Norte, mães dormiram nas calçadas para assegurar vaga para filhos na rede de ensino infantil municipal. A dona de casa Aparecida Batista Silva disse ao jornal O Mossoroense que chegou à creche, no bairro Nova Vida, às 5h40 de domingo, e já havia pessoas na fila. “Teve gente que chegou ontem e dormiu aqui na calçada. Este ano, foi a primeira vez que eu consegui. Ano retrasado, não consegui vaga para a minha filha”, disse.

A diretora de uma creche, Tereza Magalhães, informou que para alunos novos há apenas 38 vagas para o período matutino e 33 para o vespertino. “Vaga é espaço, nós não podemos ultrapassar o limite de alunos por sala, porque isso iria baixar a qualidade do ensino”, afirmou.

Ela disse que todas as vagas já foram preenchidas e prometeu mais três salas ainda este ano. “Em 2014, está prevista a construção de mais três salas de aula. Esperamos com isso ampliar o número de vagas e fazer com que não seja preciso que mães durmam na calçada para conseguir matricular seus filhos”.

O jornal conversou com Rosicleide Simões da Silva, que não conseguiu a vaga para o filho. “Eu queria uma vaga para meu filho, para ele começar a aprender já, e também por causa do Bolsa Família, porque se eu não matriculá-lo, talvez o benefício seja suspenso. Eu não pude vir dormir aqui. Como é que eu vinha com duas crianças pequenas e uma mãe doente em casa?”, questionou.

стоматологии москваавзлом мой мирplay slot games online for free