by /0 comments

90 mil presos poderão fazer cursos profissionalizantes gratuitos

O Brasil tem 500 mil presos. Pela lei, para cada 12 horas de estudos há redução de um dia na pena. O investimento será de R$ 180 milhões.
Presos e ex-presos poderão fazer cursos profissionalizantes gratuitos por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). O governo federal lançou o projeto nesta quinta-feira, dia 7, e promete 90 mil vagas até 2014. Para este ano, estão previstas 35 mil vagas. O Brasil tem 500 mil presos. O investimento será de R$ 180 milhões.

O programa atenderá pessoas nos regimes aberto, semiaberto, fechado e de prisões provisórias, além daqueles que já cumpriram as penas. Inicialmente, a prioridade será para quem está no regime semiaberto e ex-presos.

Os beneficiários serão selecionados pelo Ministério da Justiça e encaminhados aos cursos credenciados pelo Ministério da Educação, como institutos federais de educação, unidades do Sistema S e escolas técnicas estaduais. Segundo o governo federal, todos os Estados participam do projeto.

A oferta de cursos será baseada na demanda de cada Esgtado. Haverá cursos nos níveis de ensino fundamental e médio, completos ou incompletos, além dos cursos técnicos.

Dados apresentados pelo governo apontam que dos 500 mil pessoas presas, 75 mil estão no regime semiaberto. Do total, 10% estudam, 2,9% tem qualificação profissional e 5% são analfabetos. Cerca de 63% não têm o ensino fundamental completo e apenas 7% concluíram o ensino médio.

Os presos que participarem do programa terão a pena reduzida. A legislação de execução penal define que para cada 12 horas de estudos há redução de um dia na pena.

Os ministérios da Educação e da Justiça anunciaram ainda que estão preparando um projeto para financiar a formação universitária de filhos de policiais mortos em serviço. A ideia inicial é conceder uma bolsa de estudo por meio do Programa Universidade para Todos (ProUni).реклама компаниикредитка кукуруза отзывынасос