by

ABC paulista tem três escolas entre as 100 melhores

 

diarioabc060815a

 

Três instituições de ensino do ABC paulista integram lista das 100 melhores do País no Enem, relata o jornal Diário do Grande ABC. Pela segunda vez consecutiva, o colégio Villare, de São Caetano, ocupa o topo do ranking regional entre unidades públicas e privadas, com média 691,95 – a escola ficou na 34ª posição nacional.

O colégio Unidade Jardim, de Santo André, alcançou a 84ª colocação entre as 15.640 escolas brasileiras avaliadas (nota 665,54) e o colégio Termomecanica, de São Bernardo, ficou no 100º lugar, com índice 661,24.

Os dados foram divulgados na quarta-feira pelo Inep e levam em conta a média das quatro provas objetivas do exame: linguagem, matemática, ciências humanas e da natureza.

10 melhores

A repórter Natália Fernandjes destaca que a lista das dez melhores unidades da região é composta apenas por instituições privada que recebem alunos de nível socioeconômico muito alto. No total, foram avaliadas 201 escolas das sete cidades.

Entre as escola públicas de ensino, cinco das dez melhores do Grande ABC são Escolas Técnicas Estaduais (Etecs): Julio de Mesquita, em Santo André (599,95), Lauro Gomes, em São Bernardo (591,38), Jorge Street, em São Caetano (590,78), Ribeirão Pires (585,27) e Juscelino Kubitschek de Oliveira, em Diadema (578,08).

Já a parte de baixo da tabela é ocupada apenas por escolas estaduais de ensino regular. O destaque negativo é a Professor Carlos Roberto Guariento, de Rio Grande da Serra, que obteve média 462,67, e a posição de número 14.272 na lista nacional.

Empenho

O bom desempenho na avaliação do Ministério da Educação é fruto de empenho de alunos, professores, funcionários e pais, diz a reportagem.

O diretor da Etec Julio de Mesquita, Luiz Saito, considera que a continuidade dos trabalhos é essencial para que não haja estagnação. A unidade já havia sido a melhor colocada entre as públicas da região no exame em 2013 e a segunda melhor no ano passado. “Não podemos ficar parados sobre o que conquistamos. Seguimos com nossos projetos em busca de novas conquistas”, disse.

Villare

O coordenador pedagógico do Ensino Médio do colégio Villare, Ernani Soares de Paula, destaca quatro fatores como fundamentais para o desempenho satisfatório: a existência de projeto pedagógico estratégico e moderno, contar com professores qualificados, manter os alunos motivados e estabelecer parceria com os pais.

“É importante frisar que não temos processo seletivo para ingressar na escola e que cobramos mensalidades mais baixas do que algumas instituições que ficaram abaixo de nós na tabela (a mensalidade do Ensino Médio custa em média R$ 1.900).”

Para a coordenadora pedagógica do Colégio Termomecanica, Cristina Favaron Tugas, a instituição não pode trabalhar exclusivamente visando os índices. “O resultado é uma consequência de trabalho humano somado à infraestrutura adequada”, diz. A instituição vê crescer a procura para seu processo seletivo. São em média 30 candidatos para cada vaga no Ensino Médio.