by /0 comments

Acordo pretende garantir ensino do espanhol

De acordo com a Lei nº 11.161/2005, as escolas de ensino médio serão obrigadas a oferecer o ensino do idioma a partir de 2010. No entanto, a matrícula é facultativa.
O Ministério da Educação e o Instituto Cervantes firmaram nesta terça-feira, dia 4, um acordo para promover o ensino do espanhol no Brasil na modalidade a distância. De acordo com a Lei nº 11.161/2005, as escolas de ensino médio serão obrigadas a oferecer o ensino do idioma a partir de 2010. Segunda a Agência Brasil, o MEC promete formar 26 mil professores até o ano que vem. No entanto, a matrícula é facultativa. Para o ensino do fundamental, o idioma também é facultativo.

O Instituto Cervantes, centro de ensino espanhol com nove filiais no Brasil, será responsável por formar os professores brasileiros e oferecer os recursos didáticos e técnicos.

Um projeto-piloto será desenvolvido em três fases, relata o MEC. A primeira começa agora em agosto com a capacitação de 30 professores, seis de cada região do país. Eles farão um curso de duas semanas para aprender a metodologia do centro de ensino, no Rio de Janeiro. Eles serão tutores de 600 alunos até o fim do ano.

A segunda etapa é o uso do material didático na TV Escola, canal do MEC. A terceira fase será a utilização da tecnologia e do ambiente virtual criados pelo instituto espanhol. No final do ano, haverá uma reunião para avaliar o projeto-piloto.

O ministro Fernando Haddad e a vice-presidente da Espanha, Maria Teresa de la Vega, ressaltaram que as novas tecnologias serão fundamentais para a concretização do projeto. “Nos faltavam meios para isso. A educação a distância, pela internet, com a instalação de banda larga em todas as escolas, prevista para o próximo ano, vai facilitar a integração do Brasil com o continente”, disse o ministro brasileiro.

Para a vice-presidente da Espanha, “mesmo sendo o Brasil um país tão grande” o instituto quer “superar barreiras” e fazer o ensino “por todos os meios possíveis.”

O MEC não informou o investimento que fará neste projeto.

Unila

O ministro da Educação destacou ainda que a integração com os outros países da região será maior com a futura Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), que terá sede em Foz do Iguaçu (PR).

Segundo ele, “será uma universidade bilingue, com projeto pedagógico voltado à integração, com ensinamentos das literaturas latino-americana e brasileira, de história, geografia, incluindo disciplinas sobre infraestrutura na região, como matriz energética, logística, transportes e comunicações.”

De acordo com informações do Ministério da Educação, Unila fará exames seletivos com estudantes de toda a América Latina. Serão oferecidos inicialmente 20 cursos de graduação e pós-graduação. As atividades terão início no final deste mês, provisoriamente, com a primeira reunião do Conselho Consultivo, formado por especialistas de 16 países.

O projeto de lei que prevê a instituição da universidade ainda tramita no Congresso Nacional.Малий Владиславинжиниринг иоформление визы в хорватию