by

Aluno da zona rural no Maranhão se prepara via WatsApp para Olimpíada Internacional de Matemática da Ásia

Diogo Brasil da Silva tem 16 anos e mora na zona rural de Pindaré, cidade do interior do Maranhão. Medalha de ouro na Olimpíada Internacional Matemática Sem Fronteiras (OIMSF), ele e mais 14 colegas foram selecionados para disputar a Olimpíada Internacional de Matemática na Ásia (AIMO), competição organizada com exclusividade no Brasil pela Rede do Programa de Olimpíadas do Conhecimento (Rede POC) que está sendo disputada na Tailândia, até o dia 6 de agosto.

Diogo estuda na 2° série do ensino médio no Instituto Estadual de Educação do Maranhão (IEMA), uma instituição nova, criada nos moldes dos institutos federais de educação. Para preparar os alunos para AIMO, o professor de Matemática, Samy Marques Rocha teve a ideia de usar as férias de julho para reforçar a matéria com o grupo.

Sem o transporte escolar e sem dinheiro para viajar, Diego não poderia ir até Pindaré estudar com o grupo. Mas o professor Samy teve uma ideia: usar o WatsApp para ajudar Diogo. “Sem condições financeiras para se deslocar até a escola ele usava o celular da sua irmã que ia até a cidade para carregar as questões que eu colocava em um grupo de WhatsApp, da mesma forma ele enviava as respostas, interagindo à distância”, conta Samir.

Diogo lembra como foi difícil chegar até a Tailândia. “Para chegar na Tailândia foi uma longa viagem. Começou na Olimpíada Internacional Matemática Sem Fronteiras, quando a gente passou por uma grande surpresa: medalha de ouro. Foi incrível!”, recorda.

Quando o professor Samy sugeriu usar as férias para o grupo estudar mais, Diogo ficou preocupado. “Marcaram a viagem para Bangcoc e o professor teve a ideia de se preparar durante as férias para poder chegar na Tailândia mais afiado. Só que por ser muito distante da minha casa e por não ter recursos para poder ir nas aulas, eu acabei não indo”, relata o estudante. “Mas o professor se disponibilizou a mandar o conteúdo para mim via WatsApp e eu pude acompanhar os estudos em casa. Foi muito bom este acompanhamento do professor. Eu pude me preparar e hoje eu estou aqui na Tailândia e vou dar o meu melhor e com certeza levar uma premiação para o Maranhão e para o nosso Brasil”.

Confira neste link o vídeo com o depoimento do Diogo

O professor de Matemática destaca a força de vontade do aluno para conseguir o sonho dele. “O resultado foi muito positivo, pois podemos perceber a motivação mesmo à distância e a força de vontade de um aluno, que, mesmo limitado pelas condições financeiras, acredita na realização dos seus sonhos”, afirma Samy.

Ele acredita que para melhorar o ensino de Matemática no Brasil é importante aliar prática e teoria. “Podemos melhorar o ensino envolvendo a matemática no dia dos nossos alunos, aproximando a teoria e prática; além de propor alternativas de desafios, como estas competições”, ensina Samy.

Confira também neste link o vídeo com os depoimentos dos alunos Mariana Paixão Batista, João Vitor Leal de Souza e Pedro Miguel Moraes, todos do Colégio Pedro II, tradicional instituição federal de ensino do Rio de Janeiro, que levou 20 alunos para a AIMO, dos campus Centro, Tijuca e Humaitá.

Leia também:

Brasil envia delegação recorde para Olimpíada Internacional de Matemática na Ásia