by /0 comments

Alunos denunciam falta de professores ao Ministério Público

Estudantes dos cursos de Engenharia Elétrica e Engenharia da Computação da Universidade Federal do Espírito Santo dizem que estão sem aula desde o início do ano, há dois meses

Alunos dos cursos de Engenharia Elétrica e Engenharia da Computação da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) protocolarem uma denúncia no Ministério Público Federal (MPF) contra a falta de professores. Segundo o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Ufes, desde o início do ano letivo, há dois meses, eles estão sem aula. A universidade garantiu ao jornal A Gazeta que o problema já foi resolvido e os casos de falta de professores são “pontuais”.

“Depois que protocolamos a denúncia, a universidade informou que vai resolver o problema. Fomos informados que um novo professor será contratado e começará a dar aulas ainda nesta semana. Mas estamos há dois meses sem aulas. Se a situação não for resolvida, vou procurar um advogado e entrar com um pedido de liminar para garantir as aulas. Até porque as disciplinas são pré-requisitos para matérias de outros períodos”, disse um autores da denúncia à repórter Carla Nascimento O estudante pediu para não ser identificado.

O Ministério Público Federal informou que essa é a única denúncia motivada pela falta de professores na Ufes e será investigada.

O DCE relatou que no início do ano a defasagem de professores chegava a 140. “Até agora foram contratados cerca de 60”, afirmou Raphael Sodré, 21, diretor de Políticas Educacionais. Segundo ele, cursos como Serviço Social e Ciências Contábeis iniciaram o ano com o corpo docente incompleto. “A falta de professores já acontece há algum tempo. Mas nunca faltou tanto professores de matérias obrigatórias como neste semestre. O mais comum era observar isso entre as disciplinas optativas. Estamos fazendo um levantamento detalhado e vamos debater o tema no congresso que acontece em maio”, afirmou ele ao jornal.

Tales Torezani, 20, também diretor do DCE, disse que “até agora” a sua turma não teve aulas de Didática “porque os professores não foram nomeados”. Ele afirmou que a “falta de professores ainda atinge aulas optativas e projetos de pesquisa”.

Assessoria de imprensa da universidade informou que foi contratado um professor para as disciplinas de Álgebra Linear e Cálculo 3 e a reposição de aulas será definida, em parceria com os alunos. Para as aulas de Didática, a seleção está em fase final.

No caso do curso de Direito, a Ufes informou que a cada semestre algumas matéria optativas deixam de ser oferecidas, pois há o risco de turmas com poucos alunos.

A assessoria negou a falta de 140 professores no início do ano. “Os diretores dos centros de ensino asseguram que não há falta de professores. Os poucos casos pontuais, segundo eles, estão sendo resolvidos com a contratação de professores substitutos”.

хорватия апартаменты арендавладимир мунтян благотворительный фондпуско зарядное устройство