by

Formação do professor. Educação em rede

 

Educação em Rede – No dia 27 de maio, em São Paulo, o Instituto Cultural Lourenço Castanho realizará o IX Congresso ICLOC de Práticas de Sala de Aula. O evento  gratuito reúne professores e de escolas públicas e privadas para a troca de experiências letivas.

Investir na formação do professor brasileiro é um dos pontos citados pelo  ministro da Educação, Mendonça Filho, para reverter o  desempenho ruim que os  alunos brasileiros obtiveram no último PISA. O exame mediu o conhecimento dos estudantes de 72 países em leitura, ciências e matemática. Nas três áreas, a média dos estudantes brasileiros ficou abaixo da obtida pelos demais países.

O ministro apontou quatro pontos que precisam ter prioridade para reverter esse quadro no país: alfabetização, formação de professor, Base Nacional Comum Curricular e reforma do ensino médio.

Enquanto os antigos governos investiram em políticas públicas que garantiram a inserção de todas as crianças na escola e iniciativas que possibilitaram o acesso de jovens menos privilegiados em instituições de ensino superior,  educadores –  iniciativa privada -trabalham para buscar estratégias que tenham como foco a formação do docente – das redes públicas e privadas – de forma permanente e eficaz.

Em 2009 nasceu o Instituto Cultural Lourenço Castanho (ICLOC). Criado pelas sócias da Escola Lourenço Castanho (SP) e educadoras há mais de 40 anos, Jeannette De Vivo, Marilia Noronha, Marilu Aidar e Sylvia Gouvêa (membro do Conselho Estadual de Educação de São Paulo), o ICLOC é uma associação sem fins lucrativos que tem por objetivo contribuir para o desenvolvimento e aperfeiçoamento da educação brasileira. Este ano o Congresso  também conta com a parceria do Instituto Singularidades, faculdade que integra o Instituto Península e com grande  reconhecimento pela qualidade dos cursos que oferece –  licenciatura em Pedagogia, Letras e Matemática.

“Educadores de escolas públicas e privadas  de todo o Brasil que têm uma boa prática de aula a ser compartilhada com seus colegas de profissão, inscrevem seus trabalhos e fazem suas apresentações. Eles compartilham, contam, mostram, explicam como desenvolveram  seus trabalhos em sala de aula e conseguiram garantir o desenvolvimento acadêmico dos seus alunos”, conta a educadora, Sylvia Gouvêa.

O Congresso é organizado por seções reunindo práticas letivas com temáticas específicas. “Os trabalhos são organizados a partir de um tema comum, que pode ser o componente curricular, a fase escolar ou um assunto específico, de forma que os trabalhos se enriqueçam e proponham um interessante debate entre os congressistas e os apresentadores. Além disso, o congresso abre espaço para que, na mesma seção,  a prática de um professor de escola particular seja apresentada juntamente com a de um docente  da rede pública”, explica Edgar Bim, Diretor de Comunicação da Escola Lourenço Castanho e organizador do evento.

Este ano o congresso ocorrerá no dia 27 de maio no Colégio Mackenzie, em São Paulo, e apresentará 983 práticas letivas, que serão apresentadas por 1.500 professores – de escolas públicas e privadas. O evento é gratuito e é visto por  milhares de educadores como  oportunidade para a  troca de saberes e investimento na capacitação profissional.

A Base Nacional e o ENEM na sala de aula.

Para encerrar o do IX Congresso de Práticas na sala de aula, o ICLOC preparou um espaço para reflexão sobre os assuntos mais importantes e atuais no debate sobre a educação no Brasil – A Base Nacional Curricular Comum e o Exame Nacional do Ensino Médio.

Duas das mais importantes autoridades nesses assuntos foram convidadas para abrilhantar essa reflexão: Maria Inês Fini, Presidente do Instituto Nacional de feedback möglichkeiten auf der ohnerezeptfreikauf webseite Estudos e Pesquisa Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e Maria Helena Guimarães de Castro, Secretária executiva do Ministério da Educação e Cultura.

Maria Inês Fini – Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Fundadora da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), onde atuou de 1972 a 1996. Doutora em ciências – educação, pedagoga, professora e pesquisadora em psicologia da educação, psicologia do desenvolvimento, social e do trabalho, especialista em currículo e avaliação, com experiência em gestão educacional na educação básica e superior.

Maria Helena Guimarães de Castro – Secretária executiva do Ministério da Educação e Cultura. Socióloga, especialista em Educação, mestre em Ciência Política pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Foi presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) de 1995 e 2001. Nesse período, organizou e implantou o Exame Nacional de Cursos (Provão), o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e o Sistema Nacional de Informação Educacional, que contempla os censos escolares e a produção de estatísticas educacionais.

As inscrições para assistir as apresentações do IX Congresso ICLOC de Práticas na sala de aula já se iniciaram. O evento é gratuito.

Leia +http://cgceducacao.com.br/congresso-icloc-incentiva-formacao-continuada-de-educadores-de-sao-paulo-e-outros-municipios/ 

Serviço:

IX Congresso ICLOC de Práticas na Sala de Aula
Quando: 27 de maio de 2017 a partir das 8 horas.
Onde: Colégio Presbiteriano Mackenzie – Entrada pela Rua Itambé, 143 – Higienópolis – SP
Inscrições: www.icloc.org.br/congressoicloc

 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone