by /0 comments

Ampliação do investimento melhora a educação no Brasil, mostra OCDE

Entre 2000 e 2009, o Brasil foi o quatro país que mais investiu e o terceiro que mais evoluiu na avaliação do Pisa
Um cruzamento de dados de dois estudos da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) revela que a ampliação do investimento público em educação está melhorando a qualidade do ensino no Brasil.

De acordo com o relatório “Education at a Glance 2012” (“Olhar sobre a Educação”), divulgado nesta terça-feira, dia 11, o Brasil foi o quarto país (entre 34) que mais investiu em educação entre 2000 e 2009.

Já o relatório do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) 2009, também da OCDE, mostra que o Brasil foi o terceiro país (entre 65) que mais evoluiu na educação no mesmo período.

“Pessoas bem-educadas vivem mais tempo, são mais propensas a votar e têm atitudes mais favoráveis à igualdade de direitos das minorias”, diz o estudo da OCDE publicado neste dia 11 de setembro.

Apesar da melhora, o Brasil ainda está bem longe de aplicar o valor anual por aluno indicado pela organização e não investe o recomendado para o Produto Interno Bruto (PIB).

Os investimentos por aluno na educação básica cresceram 149%, mas o Brasil ainda está entre os cinco países que menos investem por aluno. Segundo o site da revista Veja, entre os países analisados, o Brasil ocupa a 31ª posição, com 2.405 dólares por aluno do ensino fundamental. Na OCDE, o valor é de 7.719 dólares. No ensino médio, o Brasil investe 2.235 dólares contra 9.312 dólares, respectivamente. No ensino superior, o Brasil aplica 11.741 dólares por estudante, frente aos 13.728 dólares da OCDE.

O relatório “Olhar sobre a Educação” mostra que o investimento público total em educação no Brasil passou de 10,5% em 2000 para 16,8% em 2009. Na OCDE, a média de gastos com educação é de 13% do total da despesa pública. Na relação com o PIB, o Brasil passou de 3,5% para 5,55% no período. A média da OCDE é de 6,3%.

O Brasil também só investe 0,04% do PIB em pesquisas e desenvolvimento, a menor fatia do PIB entre países do estudo, afirma a OCDE, de acordo com a BBC.

A Agência Brasil informa que outro dado da pesquisa é a alta nas taxas de escolarização na infância: 92% das crianças com menos de 6 anos estão na sala de aula, contra 83% em 2005.

A organização alerta que mais investimentos em educação criam oportunidades de emprego. Pelos dados da pesquisa, 68,7% dos brasileiros sem o ensino secundário conseguiram emprego. A taxa de ocupação sobe para 77,4% para quem tem o ensino secundário e 85,6% para os profissionais com ensino superior.

Pelos dados do Pisa de 2009, a educação brasileira evoluiu 33 pontos entre os exames realizados no período 2000-2009. Em 2000, a média brasileira das notas em leitura, matemática e ciências era de 368 pontos. Em 2009, a média subiu para 401 pontos. Apesar de o Brasil ter o terceiro maior avanço, ainda ocupa na tabela geral a 53ª posição entre 65 países.михаил безлепкин риэлторпроверка сайта googleslot casino slot machines