by /0 comments

Avaliação baseada em ranking é um erro, dizem professores

A avaliação deve ser trabalhada para garantir a qualidade do ensino e não para classificar alunos, escolas e sistemas, disse a doutora em educação da PUC do Rio, Claudia Fernandes, na Conferência Nacional de Educação

O atual sistema de avaliação da educação brasileira foi criticada por professores e educadores em palestras e debates na Conferência Nacional da Educação. O secretário-adjunto da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (Anped) e professor da Universidade Federal de Goiás (UFG), Luiz Fernandes Dourado, criticou as políticas que permitem a formação de rankings.

Na opinião dele, as avaliações são “muito ligadas ao rendimento dos estudantes”. As avaliações, disse, “devem possibilitar processos de avaliação institucional, de auto-avaliação da escola e de avaliação externa.”

Para o professor, os sistemas de avaliação de hoje acabam criando distorções como a premiação financeira de professores pelos bons resultados de seus alunos. “Isso acaba referendando uma lógica de competição, de disputa interior que não contribui para uma construção articulada de um sistema de ensino”, afirmou.

Em debate na terça-feira na Conferência, a doutora em educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Claudia Fernandes, também condenou os rankings.

Segundo ela, um sistema nacional de avaliação deve prever a aprendizagem dentro e fora da escola e trabalhar a avaliação como formadora e não preocupada com a classificação de alunos, escolas e sistemas. A avaliação, disse, deve ser feita para garantir a qualidade do ensino e não para aprovar ou reprovar o aluno.

No mesmo debate, o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) Reynaldo Fernandes, disse que o instituto apenas divulga dados, não classifica e não faz comparações. “O único jeito de evitar o ranking é esconder dados. O Inep não vai esconder dados”, afirmou.

Já o professor Luís Carlos Freitas, pós-doutorado em educação pela Universidade de São Paulo, disse que um sistema de avaliação nacional precisa ser descentralizado, com Estados e Municípios fazendo avaliações de partes da educação que o Inep não tem alcance.

Para ele, cabe ao Inep formatar e apoiar a criação de sistemas municipais de avaliação. Com isso, afirmou, a educação na base sairá fortalecia e poderá avaliar aspectos locais próprios.

пройти проверку на полиграфеакадемия тенниса казаньсправку о