by /0 comments

Avaliação mostra pouco avanço na rede municipal de São Paulo

Na 8ª série, 91% dos alunos não aprenderam o que se esperava em matemática, informa reportagem da Folha de S. Paulo

Os alunos da rede pública municipal de São Paulo tiveram em 2009 um desempenho um pouco melhor em português, mas continuam aprendendo pouco a matemática, revelam os resultados da Prova São Paulo. De acordo com reportagem do jornal Folha de S. Paulo, nenhuma séria avaliada obteve metade do nível satisfatório.

O pior resultado aconteceu em matemática na 8ª série, onde 91% dos alunos não aprenderam o que se esperava. O maior avanço foi na 2ª série em português, onde os alunos avançaram 11% no aprendizado. Mesmo assim, 56% não atingiram o esperado.

O secretário de educação, Alexandre Schneider, admitiu ao repórter Fábio Takahashi que “os resultados estão aquém” do esperado e prometeu melhorar. “A rede já está preparada para dar um salto de qualidade. A melhora nas séries iniciais indica isso”, disse ele ao jornal.

Ele informou que, a exemplo do governo de São Paulo, irá conceder uma bonificação em dinheiro aos servidores com base no desempenho. Segundo o secretário, o indicador estará pronto em março e vai ser fácil de os docentes entenderem; irá considerar a realidade de cada escola; e também a melhora de todos os alunos da escola. Ele informou ainda que os resultados da Prova São Paulo serão repassados para os pais dos alunos.

O presidente do Sindicato dos Especialistas de Educação do Ensino Público Municipal de São Paulo (Sinesp), João Alberto Rodrigues de Souza, disse à Folha de S. Paulo que houve melhorias na rede, mas que ainda há muita burocracia em cima dos diretores de escola. “Eles não têm tempo de se envolver nas ações pedagógicas. É muito formulário para preencher, distribuição de material escolar, leite.”

O pesquisador da Fundação Cesgranrio (que aplicou a prova), Ruben Klein garantiu que “a rede teve avanços consideráveis em português, mas há um grande desafio em matemática”. Na opinião dele, “há preconceito contra matemática no país”.

O pesquisador da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), Ocimar Alavars, classificou de “escândalo” o fato de mais de 80% das crianças terem níveis insatisfatórios em matemática. “Ou a exigência está exagerada ou os alunos não estão aprendendo nada”, disse. Ele sugeriu que a secretaria faça um plano emergencial e reavalie todos seus programas de formação e seus materiais.

Cerca de 300 mil estudantes de 2ª a 8ª série do ensino fundamental participaram da prova, que segue metodologia das avaliações federais.

saleslogix crmукладка модульного паркета видеоігра для дівчаток