by /0 comments

Biblioteca de José Mindlin já está na internet

Um robô de R$ 1,5 milhão está fazendo a digitalização do acervo. Cerca de 3 mil documentos já estão disponíveis para consulta livre
Cerca de 3 mil documentos da Biblioteca Guita e José Mindlin já estão disponíveis na internet para consulta livre, informa a Agência Fapesp. A versão inicial do projeto Brasiliana Digital, que disponibilizará a coleção de cerca de 40 mil volumes da biblioteca, foi lançada na terça-feira, dia 16, no seminário Livros, Leituras e Novas Tecnologias, no Museu de Arte de São Paulo (Masp).

Mindlin contou que desde que começou a coleção, em 1928, aos 13 anos, já sabia que a biblioteca não podia ser um patrimônio particular. “Estava claro que éramos depositários e formadores desse conjunto, mas sem o viés da propriedade. Como toda minha família tem forte relação com a USP desde a década de 1930, quando entrei no curso de Direito da universidade recém-inaugurada, não tive dúvidas sobre a escolha da instituição para a qual deveria doar esse patrimônio”, disse Mindlin ao repórter Fábio de Castro.

Um robô comprado pela Fapesp por R$ 1,5 milhão está fazendo a digitalização do acervo. “Há sete semanas estamos trabalhando com ele. O robô permite digitalizar cerca de 2,4 mil páginas por hora, o que equivale a cerca de 40 livros por dia”, disse Pedro Puntoni, professor do Departamento de História da USP e coordenador da Brasiliana Digital.

Segundo ele, a biblioteca reúne um acervo com obras de literatura, prosa e poesia, história, relatos de viagens, crítica literária, ensaios, filologia, dicionários, obras de cronistas, história natural, botânica e zoologia. “Nem tudo está em português, mas tudo diz respeito ao Brasil”, disse.

O professor não tem previsão de quando a digitalização integral será terminada. “Como o prédio no qual o acervo será instalado ainda não está pronto, não pudemos ainda definir a dinâmica do processo. Quando lidamos com um livro do século 16, por exemplo, temos que diminuir o ritmo. Estamos ainda aprendendo a lidar com o equipamento”, afirmou.

A base do Brasiliana Digital é o projeto Brasiliana USP, coordenado pelo Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da USP. Para abrigar o acervo doado por Mindlin e a nova sede do IEB, a Brasiliana USP está construindo um edifício com cerca de 20 mil metros quadrados no centro da Cidade Universitária, em São Paulo. Pedro Puntoni estima que em 2010 o novo prédio estará operacional.

A parte do prédio onde ficará o IEB, no entanto, deverá levar mais dois anos para ser finalizada. “A parte da construção voltada à coleção Mindlin foi privilegiada, para podermos trazer logo o acervo. Precisaremos ainda levantar recursos para a finalização da outra parte”, disse.

O coordenado do projeto Brasiliana USP, István Jancsó, disse o objetivo é digitalizar todo o acervo documental guardado pela USP. “A universidade tem, em suas bibliotecas, cerca de 6,5 milhões de livros. É papel da universidade pública fazer com que esse acervo possa estar ao alcance, de modo universal e irrestrito, a todos os brasileiros interessados”, afirmou ele ao repórter da Agência Fapesp.

Jancsó informou que a USP investiu R$ 15 milhões para a construção do novo prédio e o projeto captou mais R$ 18 milhões de fundações e recursos de renúncia fiscal. Já os recursos da Brasiliana Digital foram fornecidos pela Fapesp, que até o momento investiu US$ 980 mil na compra do robô e apoio a 15 bolsistas. “Agora, conseguimos autorização para captar mais R$ 11 milhoes pela lei Rouanet, para finalizar a obra. E vamos ter que buscar mais recursos”, disse.

O Brasiliana Digital fica no endereço:

www.brasiliana.usp.br/bbd

Leia a íntegra da reportagem da Agência Fapesp

http://www.agencia.fapesp.br/materia/10650/especiais/tesouro-brasileiro-na-internet.htmtranslate to spanish from englishаппаратная защита информацииfree slot no download no registration games