by

Bilíngue: o tema é… aprender outra língua

Muitos pais ficam na dúvida sobre a idade ideal para colocar o filho para aprender outra língua. E os mais velhos, até quando têm capacidade de aprender um novo idioma? Para falar sobre o assunto, o programa Como Será, da TV Globo, conversou com professores e alunos da escola bilíngue Stance Dual, em São Paulo, e com o doutor em Linguística e professor da Universidade Federal de São Paulo Marcello Marcelino.

A repórter Roberta Chevitarese explica que na Stance Dual as aulas são tanto em inglês quanto em português. Na reportagem, ela conversa com alunos da turma de 5 anos e destaca que a conversa e os jogos estimulam o inglês.  É uma imersão, ou seja, o idioma vai entrando naturalmente no dia a dia das crianças.

Bilíngue na Stance

A coordenadora de inglês da Stance Dual, Karen Lemos, diz que todas as situações da escola acontecem em inglês. “Seja o conflito entre as crianças ou a aula de matemática, a aula de natureza e sociedade ou a aula de língua mesmo”, explica. (veja o vídeo).

A também coordenadora de inglês Helena Miascovsky afirma que “a professora conta histórias e propõe brincadeiras tudo em inglês e os alunos vão construindo um repertório que vai fazer parte do dia a dia deles. Quando o português entra, entra desta mesma maneira”.

A reportagem relata que algumas vezes as crianças se confundem com as duas línguas A professora Regina Sala diz que considera isso normal. “Quando uma criança produz uma frase em português, a primeira coisa que a gente faz e incentivá-la a falar inglês. Então eu começo uma frase em inglês e a criança já vai entrando no clima”, conta.

Bilíngue não confunde

No programa, a jornalista e apresentadora Sandra Annenberg recebeu o doutor em Linguística e professor da Universidade Federal de São Paulo Marcello Marcelino

Ele esclarece que a introdução de uma segunda língua não confunde a criança. E, uma terceira também não. Pelo contrário, uma criança que já fala dois idiomas possui mais facilidade de aprender um terceiro.

“As línguas têm uma possibilidade limitada de estruturas e sentenças. Então, quando você conhece duas ou três línguas você já tem mais ou menos um mapa. Quando se aprende uma quarta, você já relaciona aquela com os mapas que você já tem. Então isso dá um salto enorme e facilita sua aprendizagem. Quanto mais melhor”, diz Marcello.

O especialista explica ainda que ser mais jovem facilita a aprendizagem, pois quando se é mais velho é preciso mais dedicação. Mas não é só isso. Traumas, experiências ruins, a sensação que se tem da língua e o próprio cérebro, que se adapta cada vez menos também, interferem no aprendizado.

Quanto ao material de ensino, Marcello esclarece que ele deve ser lúdico para as crianças e de interesse adulto para os mais velhos. Ou seja, ele deve se adequar à faixa etária de cada aluno. Mas, mais importante que isso é a metodologia que a escola usa. Além disso, os aplicativos para celular e cursos gratuitos na internet são uma boa forma de aprender sem gastar muito.

Veja íntegra do programa Como Será