by /0 comments

Brasil e Colômbia fortalecem a cooperação na educação

Programa de Aprendizado do Espanhol para Estrangeiros (ELE Colômbia) é apresentado para instituições de ensino e secretarias de educação
Os governos do Brasil e da Colômbia vão intensificar o ensino do espanhol para brasileiros através do Programa de Aprendizado do Espanhol para Estrangeiros (ELE Colômbia), apresentado nesta segunda-feira, dia 2, na Universidade de Brasília. Participaram das palestras e da Feira Educativa 14 universidades colombianas e mais de 30 instituições, entre universidades brasileiras e órgãos dos dois governos.

Foto: André Violatti
As universidades colombianas mostram seus programas de espanhol para estrangeiros
As universidades colombianas mostram seus programas de espanhol para estrangeiros

O diretor de assuntos culturais do Ministério das Relações Exteriores da Colômbia, Luis Armando Soto Boutin, pediu menos fronteiras entre os dois países e explicou que o objetivo do programa é promover a Colômbia como destino de estudo de espanhol. “Queremos muitos brasileiros na Colômbia. Queremos pescar seus corações para que aprendam espanhol no nosso país”, disse.
A chefe de Divisão de Temas Educativos do Ministério de Relações Exteriores de Brasil, Almerinda de Freitas Carvalho, elogiou a iniciativa dos colombianos e destacou o papel do Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras na promoção do intercâmbio entre os dois países.“Vamos dar as mãos. Conhecer a língua do outro de maneira correta é respeitá-lo mais”, afirmou.

Foto: André Violatti
Almerinda, do Itamaraty, Rossana Silva, do Grupo Coimbra, Luis Boutin, do Ministério das Relações Exteriores da Colômbia, e Jaime Martins, da UnB
Almerinda, do Itamaraty, Rossana Silva, do Grupo Coimbra, Luis Boutin, do Ministério das Relações Exteriores da Colômbia, e Jaime Martins, da UnB

O secretário de educação do Distrito Federal, Marcelo Aguiar, apresentou o projeto Brasília sem Fronteiras, no qual alunos e servidores fazem cursos de imersão em inglês, francês e espanhol. Ele disse que tem interesse em fazer parcerias com a Colômbia. Na opinião dele, o estudo da língua não deve se restringir ao intercâmbio com a Espanha, mas, principalmente com os países vizinhos, em especial a Colômbia.
Outro projeto que está sendo planejado, de acordo com o secretário de educação, é o intercâmbio “sanduíche”, por meio do qual estudantes do ensino médio irão estudar 6 meses no Brasil e 6 meses em algum outro país. “Nós desejamos formar parcerias com a Colômbia para receberem os estudantes brasilienses”, afirmou.

O Decano de Pesquisa e Pós-graduação da UnB, Jaime Martins, disse que o programa ELE Colômbia vai colaborar para que as escolas e as universidades concretizem parcerias para o estudo da língua espanhola. “As pessoas precisam se encontrar e se colaborar, como ocorreu no encontro do ELE Colômbia. A UnB é a parceira primeira dessa iniciativa ”, disse.

Na visão dele, diferente da parceria com os Estados Unidos, em que o Brasil é mero fornecedor de estudantes, é preciso desenvolver uma verdadeira troca. “A Colômbia é o melhor país para aprender Espanhol, mas o Brasil é o melhor país para aprender Português”, disse.

Foto: André Violatti
O Instituto Caro y Cuervo e o Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras vão coordenar o ELE Colômbia
O Instituto Caro y Cuervo e o Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras vão coordenar o ELE Colômbia

Após as palestras e debates, todos os participantes visitaram a Feira Educativa, onde as universidades colombianas apresentaram seus programas de ensino do espanhol para estrangeiros. O coordenador de Projetos da Universidad Pontifícia Boliviana (UPB), Gustavo Jaranvilo, explicou que os estrangeiros podem estudar a qualquer momento do ano. De acordo com ele, o diferencial da universidade é um colégio que dá suporte de estudo ao espanhol para crianças e adultos.
A UBP, que fica em Medellín, também possui um curso de formação de mestres em ensino de língua espanhola e alunos que se tornam monitores para outros estudantes estrangeiros. O programa da UPB existe há 7 anos e tem projeto flexível. “Cada aluno segue de acordo com sua capacidade e seu desejo de aprender”, explicou o coordenador.

O professor Francisco Ballén, da Universidad Nacional de Colômbia (UNC), contou que o projeto de ensino de espanhol para estrangeiros nasceu há 4 anos. Ele informou que uma pesquisa da instituição revelou que há uma intersecção entre o português e o espanhol de 90%, seja na gramática, pronúncia ou lexicalmente.

Segundo ele, estudos mostram que o espanhol da Colômbia é considerado o melhor do mundo porque na língua espanhola há vários níveis, dentro dos quais o standart – que possui 99% das variantes do espanhol iguais ao do original. “O espanhol colombiano está neste nível”, afirmou o professor.

Foto: André Violatti
Universidades colombianas tem vários modelos de cursos para estrangeiros
Universidades colombianas tem vários modelos de cursos para estrangeiros

O Programa de Aprendizado do Espanhol para Estrangeiros (ELE Colômbia) será coordenado pelo Instituto Caro y Cuervo, um centro de estudos ligado ao Ministério da Cultura e dedicado à pesquisa científica de Linguística, Filologia, Literatura, Humanidade e História Cultural, bem como ao ensino de Pós-graduação para professores. No Brasil, o ELE Colômbia terá como interlocutor o Grupo Coimbra de Universidades Brasileirasпиар сайта бесплатнообслуживание принтеров и мфупотолочные люстры классика