Brasil está em 88° lugar no ranking mundial da educação - CGC Comunicação em Educação
  by /0 comments

Brasil está em 88° lugar no ranking mundial da educação

Relatório da Unesco aponta que o Brasil apresenta alta repetência e baixos índices de conclusão da educação básica
O Brasil ocupa a 88ª posição em educação em um ranking de 128 países produzido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), divulgado na terça-feira, dia 19. A Agência Brasil informa que em 2000, mais de 160 países assinaram o compromisso Educação para Todos, que previa o cumprimento de seis metas para garantir a qualidade da educação.

A Noruega lidera o ranking. Sessenta países já cumpriram ou estão perto de atingir todos os objetivos firmados no compromisso. Trinta e seis estão no grupo “intermediário” (caso do Brasil) e 30 são classificados como educação de baixa qualidade.

Ao analisar o cumprimento das principais metas estabelecidas pela Unesco, o Relatório de Monitoramento de Educação para Todos 2010, constata que o Brasil tem um bom desempenho na alfabetização, no acesso ao ensino fundamental e na igualdade de gênero. Mas tem um baixo desempenho quando se analisa o percentual de alunos que conseguem passar do 5° ano do ensino fundamental.

O relatório aponta que o Brasil apresenta alta repetência e baixos índices de conclusão da educação básica. Na região da América Latina e Caribe, a taxa de repetência média para todas as séries do ensino fundamental é de 4,4%. No Brasil, o índice é de 18,7% – o maior de todos os países da região.

De acordo com a agência de notícias do governo federal, algumas iniciativas do Brasil para melhorar a qualidade da educação são destaque no relatório. Entre elas, o programa Brasil Alfabetizado, o Bolsa Família, o Fome Zero e as mudanças na política de financiamento, com a criação do Fundeb.

“No Brasil, por exemplo, o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) desempenha papel importante para a redução do déficit de financiamento de educação e para uma distribuição mais equitativa dos recursos entre áreas ricas e pobres”, diz o relatório.

Crise

O relatório da Unesco informa ainda que a crise econômica mundial, deflagrada no final de 2008, poderá acabar com todo o avanço conquistado em 10 anos. Entre 1999 e 2009, o número de crianças fora da escola foi reduzido em 33 milhões.

De acordo com o relatório da Unesco, “a desaceleração do crescimento econômico, conjugada com o aumento da pobreza e das pressões exercidas sobre os orçamentos públicos dos países, pode comprometer os progressos realizados no âmbito da educação ao longo da última década”. A Unesco calcula que a crise econômica provocará uma queda nos investimentos em educação em US$ 4,6 bilhões entre 2009 e 2010.

O relatório destaca como prioridade nas ações mundiais em prol da educação a região da África Subsaariana. A Unesco sugere que os países ricos aumentem a ajuda para financiar a educação dos países pobres.

O relatório estima que será preciso suprir um déficit de US$ 16 bilhões anuais para que seja possível atingir a universalização da educação primária (ensino fundamental) no mundo até 2015.

Leia a íntegra do Relatório de Monitoramento de Educação para Todos 2010отзовикbaldurs gate на андроид на русскомблок компрессора