by /0 comments

Brasileiro ganha o Nobel de Matemática

Artur Ávila, de 35 anos, é o primeiro latino-americano a receber a Medalha Fields, concedida pela União Internacional de Matemática
O brasileiro Artur Ávila, de 35 anos, conquistou a medalha Fields, considerada o prêmio Nobel da Matemática, durante o Congresso Internacional de Matemáticos, nesta terça-feira, em Seul, na Coreia do Sul, informam o jornal O Globo e o site G1. É a primeira vez que um latino-americano recebe o prêmio, concedido pela União Internacional de Matemática.

Pesquisador no Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS), em Paris, e no Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa), no Rio de Janeiro, Artur estudou nos colégios Santo Agostinho e São Bento, no Rio, e tem um histórico de prêmios. Aos 13 anos, ganhou uma medalha de bronze na Olimpíada Brasileira de Matemática de 1992. Três anos depois, ganhou uma medalha de ouro na Olimpíada Internacional de Matemática. Fez graduação na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e mestrado e doutorado no Impa.

O Globo informa que ele recebeu a notícia da premiação há dois meses. “Há vários anos existia uma expectativa nessa direção, e realmente eu sentia isso como uma pressão sobre mim, também pela sua importância para o Brasil, que de maneira um pouco estranha nunca teve prêmios internacionais desse porte, como um Nobel. Assim, ficava um pouco pesado. A notícia da medalha teve, para mim, um primeiro efeito de alívio — disse ao repórter Cesar Baima.

“Artur Ávila fez notáveis contribuições no campo dos sistemas dinâmicos, análise e outras áreas, em muitos casos provando resultados decisivos que resolveram problemas há muito tempo em aberto. Quase todo seu trabalho foi feito por meio de colaborações com cerca de 30 matemáticos de todo mundo. Para estas colaborações, Ávila traz um formidável poder técnico, a engenhosidade e tenacidade de um mestre em resolver problemas e um profundo senso para questões profundas e significativas. Os feitos de Ávila são muitos e abrangem uma ampla gama de tópicos. Com sua combinação de tremendo poder analítico e profunda intuição sobre sistemas dinâmicos, Artur Ávila certamente continuará um líder na matemática ainda por muitos anos”, escreveu o comitê da IMU na sua justificativa para o prêmio, relato o jornal carioca.

Ao G1, Artur Avila disse que gosta de “falar de matemática criativa”. “Matemática não é árida, tem acesso a muitos recursos. O problema é que na escola o aluno só tem contato com a parte árida, com as regras, as fórmulas. Isso o computador tá ali e faz. O matemático faz as coisas que o computador não faz, como a parte criativa que não é repetitiva”, afirmou ao site de notícias do grupo Globo. “É uma profissão que dá muita liberdade de exercer a criatividade, pois é possível escolher o que problema que se vai trabalhar. Não existe hierarquia formal e todo mundo está no mesmo plano, a princípio. No meu caso, as olimpíadas tiveram papel muito importante, foi essencial, aconteceu num momento apropriado e não poderia ter funcionado melhor. Sou muito agradecido por ter tido essa oportunidade”.

O site do Ministério da Educação informa que atualmente as pesquisas de Arthur Ávila se concentram na área de sistemas dinâmicos. “É uma área grande, um dos assuntos principais é o estudo em longo prazo, do comportamento de processos que evoluem com o tempo. São utilizados muitos métodos diferentes, os meus favoritos são análise, real e complexa, e probabilidade”, disse o pesquisador.

Hoje, os ganhadores da medalha Fields recebem 15 mil dólares canadenses (R$ 31 mil). Já os vencedores do Nobel recebem 8 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 2,7 milhões). A medalha Fields é entregue a cada quatro anos para profissionais (entre dois e quatro) com menos de 40 anos.взлом вконтактеIdea-Promotion Компанияfree no