by /0 comments

Burocracia impede formando da USP ser professor em São Paulo

Curso de licenciatura em ciências da natureza, criado em 2005 no campus leste, não constava do edital do concurso da prefeitura de 2011

Um problema burocrático está impedindo que professores formados em licenciatura em ciências da natureza na USP Leste trabalhem na rede de ensino da prefeitura de São Paulo. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o curso, criado em 2005, não constava do edital do concurso de 2011 para contratar docentes de ciências para o ensino fundamental e médio. O edital previa apenas licenciatura em ciências biológicas ou em história natural.

A Secretaria Municipal da Educação afirmou em nota que o Conselho Municipal de Educação incluiu o curso apenas após a conclusão da seleção de 2011. Mesmo assim, o conselho decidiu que o diploma só pode ser utilizado no ensino fundamental.

O coordenador do curso, Thomás Augusto Santoro Haddad, afirmou que a prefeitura sempre teve conhecimento da modalidade e nunca explicou o motivo pelo qual não a incluiu no edital.

A USP Leste precisou buscar outro modelo de curso porque o regimento da universidade não permite cursos iguais na mesma cidade.

O repórter Fábio Takahashi informa que não há estimativa de quantos docentes foram afetados, mas pelo menos sete formandos contrataram uma advogada para tentar garantir o emprego. Em três casos, a decisão inicial da Justiça foi que os docentes não podem atuar porque o curso não constou no edital. Em um caso, porém, a Justiça aceitou o argumento do docente.

A professora Cláudia Regina Pereira Ribeiro, que lecionou graças a uma liminar, disse ao jornal que “é péssimo ficar nessa situação por uma questão meramente burocrática”.

O professor Marcos Santos Barbosa, que aguarda julgamento do recurso, disse que “seria muito mais fácil ir para uma escola privada”, mas que está “fazendo de tudo para lecionar no sistema público, após fazer curso em uma universidade pública”.

сделать макияж 60 леткак выбрать моноподкруглые печи для