by

Censo: matrículas crescem nas creches e educação infantil e caem no fundamental e médio

Dados do Censo Escolar 2017 divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) nesta quarta-feira, dia 31 de janeiro, revelam que as matrículas estão subindo no início da vida e escolar, mas caindo nas etapas finais da educação básica.

Em 2016, havia 48,8 milhões alunos matriculados nas 184,1 mil escolas de educação básica no Brasil. Em 2017, eram 48,6 milhões de matrículas.

As matrículas nos anos finais do fundamental e no médio estão caindo há quatro anos seguidos. De acordo com o MEC, queda deve-se tanto a uma redução da entrada do ensino fundamental (a matrícula do 9º ano caiu 14,2% de 2013 a 2017) quanto à melhoria no fluxo no ensino médio (a taxa de aprovação do ensino médio subiu 2,8 pontos percentuais de 2013 a 2017). Outro fator é o elevado percentual de evasão do médio: 11,2%.

No ensino fundamental, 99,2% da população de seis a 14 anos frequenta escola. Na faixa etária de 11 a 14 anos, o atendimento é de 98,9%.

Censo infantil

As matrículas evoluíram mais na educação infantil, especialmente nas creches. Entre 2013 e 2017, os registros de alunos inscritos em creches cresceram 94,5%. Em 2017, o aumento foi de 5,2%. Atualmente, são 8,5 milhões de matrículas na educação infantil. Na faixa etária adequada à creche (até três anos), o atendimento escolar é de 30,4%; já na faixa adequada à pré-escola (quatro e cinco anos), o atendimento escolar chega a 90,2%. Hoje, 105 mil escolas oferecem pré-escola no Brasil e atendem a 5,1 milhões de alunos.

Na Educação profissional, o Brasil conta com 1,8 milhão de alunos matriculados, sendo 58,8% nas escolas públicas. A matrícula na educação técnica de nível médio teve um crescimento de 0,9% em 2017. Já as matrículas nos cursos técnicos de nível médio da rede pública apresentaram um crescimento de 2,2% no último ano.

Na Educação de Jovens e Adultos (EJA), são 3,6 milhões de alunos. Após longo período de queda, as matrículas do ensino fundamental dessa modalidade apresentam tendência de estabilização, mesmo com um pequeno aumento em 2017.  A oferta de EJA de ensino médio teve aumento de 3,5% em 2017.

Na Educação especial, o número de matrículas de alunos quase dobrou de 2013 a 2017. De acordo com o Censo Escolar 2017, 98,9% dos alunos estavam incluídos em classe comum. Além disso, 61,3% das escolas brasileiras têm alunos com deficiência incluídos em turmas regulares. Em 2008, esse percentual era de apenas 31.

Já as matrículas em escolas de tempo integral no ensino médio subiram 22% em 2017 nas escolas públicas de todo o país. O percentual de alunos matriculados nesse regime de ensino saltou, também na rede pública, de 6,7%, em 2016, para 8,4%, no ano passado.

O censo mostra também que as matrículas em tempo integral do ensino fundamental na rede pública voltaram a crescer, de 10,5%, em 2016, para 16,2%, no ano passado.

Clique aqui para acessar as Notas Estatísticas

Clique aqui para acessar os Microdados

Clique aqui para acessar a apresentação dos dados

 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone