by

Como falar sobre divórcio com os filhos (bloco 1)

Carolina Cunha, psicóloga, dá dicas de como falar sobre divórcio com os filhos

A psicóloga afirma que o que mais se vê no consultório é o próprio conflito dos pais, em contato com esse fracasso; a questão do sonho ter sido interrompido.

As crianças e o jovens acabam sofrendo bastante em função dessa separação. Muitas vezes, sofrem mais que os próprios pais.

Uma orientação que é sempre passada para os pais: A partir do momento em que a pessoa se comprometeu a ter uma família, ou seja, exercer o papel social de pai ou mãe, a ideia de que, no futuro, pode ocorrer uma separação, existe. Mas, como pai e como mãe, tal relação durará para sempre. Ás vezes, os pais confundem isso: Esta tríade para sempre permanecerá. Mesmo após o divórcio, o ex-marido e ex-mulher devem permanecer tendo contato, afinal, permanecem sendo mãe e pai da criança em questão.

Tal tríade, o que sustenta a própria família – o pai, a mãe, e o(s) filho(s)- se mantêm. A psicóloga, inclusive, orienta para o pai e a mãe sairem juntos com seus filhos.

A movimentação dos pais, seja ela qual for, deve ser feita do modo mais tranquilo possível para os filhos. As crianças, recorrentemente, fantasiam neste contexto, achando que são culpadas pela separação, por exemplo. É muito comum a culpabilização das crianças. Por isso, a psicóloga ressalta uma outra orientação frequente: ser o mais transparente possível neste assunto com seu filho, mas, é claro, adequando a linguagem para a criança, de acordo com sua idade. Colocar às claras o que está acontecendo, mas, com a ressalva de que a base; a tríade familiar irá se manter.

 Confira mais sobre o tema a seguir:

Bloco 2

Bloco 3

Bloco 4

Bloco 5