by /0 comments

Conferências Estaduais reúnem 20 mil em todo o Brasil

Todos os Estados já encerraram os encontros, menos o Pará, que fará a reunião em janeiro. A Conferência Nacional será em abril. Veja a galeria de fotos

 

Divulgação

conferencias
Em Alagoas, uma cobrança de menos interferência dos políticos na Educação

Mais de 20 mil pessoas participaram das Conferências Estaduais de Educação, segundo cálculos do Ministério da Educação. Todos os Estados já encerraram as conferências – o Pará fará a reunião em janeiro. Agora, os Estados devem encaminhar ao MEC, até 10 de janeiro, os relatórios e os nomes dos delegados que irão participar da Conferência Nacional da Educação Básica, em abril.

 

Os debates nos Estados giraram em torno de cinco eixos temáticos propostos pelo MEC: Desafios da Construção de um Sistema Nacional Articulado de Educação; Democratização da Gestão e Qualidade Social da Educação; A construção do Regime de Colaboração entre os Sistemas de Ensino e o Financiamento da Educação; Inclusão e Diversidade na Educação Básica; e a Formação e Valorização Profissional. Já a etapa nacional terá como tema central a construção de um Sistema Nacional de Educação Básica.

Minas

Em Minas Gerais, a Conferência reuniu 600 pessoas no Minascentro, entre os dias 13 e 15 de dezembro. Educadores, secretários municipais, representantes do Ministério Público, de conselhos escolares e tutelares e sindicatos, entre outras entidades da sociedade civil de todas as regiões de Minas participaram das discussões. Foram eleitos os 80 delegados que irão representar Minas Gerais na Conferência Nacional.

O presidente do Sindicato dos Professores, Gilson Reis, criticou o fato de o governo de Minas, segundo ele, ainda considerar investimento em educação como gasto orçamentário.

Bahia

A Conferência na Bahia mostrou a força do interior nas discussões. Pelo menos 80% dos delegados eleitos são da região. O pataxó Sadraque Francisco dos Santos, da região de Prado, foi um dos eleitos. “É importante ouvir e ser ouvido, construir propostas para a educação. E é importante representar meu povo e a Bahia”, disse ele em reportagem publicada no site da secretaria de Educação.

Durante a cerimônia de abertura, o governador Jaques Wagner, anunciou a eleição direta para dirigentes das escolas. A Secretaria da Educação prometeu estudar a proposta lançada pelos participantes da Conferência de criar um Fundo Estadual da Educação Profissional. Ainda durante a reunião, realizada entre os dias 13 e 15 de dezembro na Escola Parque, em Salvador, as secretarias da Educação e da Cultura assinaram um acordo para instalar Pontos de Cultura nas escolas estaduais. Leia no site da Conferência na Bahia mais informações.

 

Mato Grosso do Sul

Mais de 400 educadores, professores e gestores participaram da Conferência do Mato Grosso do Sul, nos dias 13 e 14 de dezembro, no auditório da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). A participação da sociedade ficou restrita porque apenas cinco propostas puderam ser apresentadas para cada eixo do documento de referência do MEC, disse Mariete Félix Rosa, membro do Conselho Gestor do Fórum de Educação Infantil do Estado, em reportagem da Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

Para o presidente da Federação dos Trabalhadores em Educação do Mato Grosso do Sul (Fetems), Jaime Teixeira, o encontro serviu para a “luta em busca de um sistema nacional que garanta a qualidade da Educação”.

Roraima

A Conferência em Roraima aconteceu dias 13 e 14 de dezembro, ainda sob o impacto da morte do governador Ottomar Pinto, dia 11, vítima de uma parada cardiorespiratória. Com o tema “Desafios das Políticas Educacionais para Educação Básica”, a reunião contou com a participação do novo governador, José de Anchieta Júnior. Ele afirmou na abertura do encontro que só haverá dignidade e oportunidade por meio do conhecimento e que essa é uma tarefa conjunta da sociedade, representada na Conferência pelos professores, gestores de escolas e alunos.

Para o reitor da Universidade Estadual de Roraima, Nonato Vilarins, o encontro, realizado dias 13 e 14 de dezembro, foi “importante para definir parâmetros e diretrizes com vistas à qualificação do professor e do direito do aluno à formação integral com qualidade”.

Alagoas

Mais de 400 pessoas, entre delegados eleitos nas pré-conferências e observadores, participaram da Conferência de Alagoas, entre os dias 19 e 21 de dezembro no Centro Federal de Educação Tecnológica. O secretário da Educação e do Esporte, Fábio Farias, disse que a Conferência serviu para que a sociedade estabelecesse diretrizes para o setor e cobrasse menos interferência dos políticos na educação. “Essas ações devem ser ‘blindadas’ contra a interferência política”, disse.

Para presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas (Sinteal), Girlene Lázaro, o grande objetivo da Conferência Estadual foi efetivar o que foi definido no Plano Estadual de Educação e levar propostas do Estado para a Conferência Nacional, em abril de 2008, em Brasília.

Maranhão

Como reverter o alto número de analfabetos no Maranhão foi um dos temas centrais da Conferência Estadual, realizada dias 13 e 14 de dezembro, no Rio Poty Hotel. A Conferência contou com a participação de 700 pessoas. Para o reitor da Universidade Estadual do Maranhão, José Augusto Silva Oliveira, o Sistema Integrado de Educação Pública do Estado (Siepe), criado recentemente pelo Estado pode ajudar a reverter a situação. “Ele deve ter a perspectiva do desenvolvimento dos processos cognitivos, estimular o desejo por esse desenvolvimento e incentivar que alunos e trabalhadores da educação tenham sempre a vontade de aprender, de querer saber mais e melhor”.

Na opinião do presidente do Sindicato dos Professores (Sinproesemma), Odair José, “o evento mostrou uma preocupação em melhorar a qualidade da educação no Estado e que toda forma de luta por uma educação pública de qualidade é válida”.

Paraná

Cerca de 1.100 pessoas participaram da Conferência do Paraná, entre os dias 13 e 15, no Centro de Convenções de Curitiba. O fato de o MEC não ter incluído o Ensino Superior nas discussões foi criticada pela superintendente da secretaria paranaense, Yvelise Arco-Verde. “Estamos pensando um sistema de educação no qual todos os segmentos estejam incluídos, inclusive as universidades, pois um sistema nacional articulado não pode começar com uma ausência”, disse. “Nós fizemos questão de incluir o ensino superior na Conferência do Paraná”.

Para José Thadeu Rodrigues de Almeida, da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino, é preciso ir além da criação de um Sistema Nacional de Educação. “Apesar de a Conferência ter como um dos princípios discutir o regime de colaboração entre os entes federados como um pilar mestre do sistema, a idéia é discutir como ponto principal a vinculação de um projeto de sistema para um projeto de educação e para um projeto de sociedade”, afirmou.

Sergipe

A disparidade entre a Educação Básica e o Ensino Superior e também entre o sistema público e o privado foi o ponto central da fala do secretário da Educação de Sergipe, José Fernandes de Lima, na Conferência Estadual, dias 12 e 13 de dezembro, no hotel Parque dos Coqueiros. Participaram do encontro mais de 500 professores de todo o Estado, segundo a secretaria.

Para ele, o pequeno número de alunos inscritos em cursos mais concorridos nos vestibulares prova que a escola pública não oferece segurança ao estudante. Segundo o secretário, no vestibular 2008 da Universidade Federal de Sergipe, 2.400 alunos de escolas particulares se inscreveram para o curso de Medicina, enquanto apenas 12 eram da rede pública.

Já o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial do Estado (Sintese), acusou a secretaria de ter boicotado o encontro. “Os fatos que confirmam a avaliação do sindicato são: a ausência dos gestores da secretaria nos debates, a desorganização do evento, o desrespeito ao regimento e a falta de debates”, diz o sindicato em nota publicada no site.

Paraíba

Cerca de 650 pessoas, representando os 223 municípios da Paraíba, participaram da Conferência Estadual, dias 17 e 18 de dezembro, no cine Bangüê do Espaço Cultural, em João Pessoa. O secretário da Educação e Cultura Neroaldo Pontes, defendeu mais diálogo para que o financiamento à Educação possa contemplar a infra-estrutura, informática, livros, bem como pagar melhor ao professor.

Além dos cinco temas propostos pelo MEC, a Conferência da Paraíba discutiu o papel das tecnologias de informação e comunicação e a educação no campo.

Pará

O Pará foi o único Estado que adiou a Conferência, que estava marcada para os dias 12 e 14 de dezembro. A Secretaria de Estado de Educação disse adiou a Conferência para janeiro em função do processo de matrícula em todo o Estado.

Leia também:

Ministério da Educação diz que problemas nas Conferências Estaduais são pontuais

Conferências Estaduais discutem o futuro da educação

Conferência de São Paulo está ameaçada

Visite o site da Conferência Nacional

101 otzyvдетские домикикупить ветровку на мальчика на олх