by /0 comments

Bônus para as escolas estaduais paulistas não melhora desempenho no 9 ano

O pagamento de um bônus em dinheiro para as escolas estaduais paulistas que tem melhores resultados teve impacto positivo nas notas de estudantes do quinto ano, mas não influenciou os alunos do nono ano. Os dados foram apresentados pelos pesquisadores da USP de Ribeirão Preto, Cláudia Oshiro e Luiz Guilherme Scorzafave, em um evento da Fundação Itau Social, no Rio de Janeiro.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a premiação é dada de acordo com o resultado da escola no Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo (Idesp), um indicador criado para avaliar o ensino.

Os pesquisadores compararam as notas entre 2007 e 2009 da avaliação federal Prova Brasil nas escolas estaduais com as unidades municipais. A reportagem de Antônio Gois noticia que foram usadas escolas com características e perfis de alunos semelhantes.

A nota de matemática cresceu sete pontos, o que representa mais de meio ano, já que a escala da avaliação é de 12 pontos de aprendizado por ano letivo. A reportagem não cita a nota de língua portuguesa.

Luiz Scorzafave acredita que o resultado não foi encontrado no nono ano porque nesta faixa etária impacto a curto prazo é mais difícil.

O repórter perguntou se a melhora na nota não poderia ser resultado de outros fatores e o pesquisador respondeu que a premiação por mérito foi a política mais importante.

O jornal lembra que a Prefeitura de Nova York abandonou recentemente a concessão de bônus por resultado após um estudo ter concluído que ela não melhorar o aprendizado dos alunos.

Já o jornal Zero Hora cita o caso de Pernambuco, onde também há premiação em dinheiro para as escolas que atingirem as metas de desempenho. No Estado, escreve a repórter Angela Ravazzolo, houve um salto no número de instituições estaduais que atingiram 100% da meta: em 2008, 233 escolas alcançaram os objetivo;em 2010, o número chegou a 474.

сайт для размещения рекламысайты отзывовсхемы ландшафтного освещения