by /0 comments

Consórcio terá que pagar ao MEC R$ 73 milhões por vazamento do Enem em 2009

A Justiça deu cinco dias para que o Connasel pague a dívida ou garanta a execução, sob pena de penhora de bens para garantir o pagamento.
A Justiça Federal em Brasília decidiu que o consórcio responsável pela aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2009 deverá ressarcir os cofres públicos em R$ 73 milhões por prejuízos causados pelo vazamento da prova.

A Agência Brasil informa que a ação de execução contra o Consórcio Nacional de Avaliação e Seleção (Connasel) foi proposta pela Advocacia-Geral da União (AGU).

Em 2009, funcionários contratados pelo consórcio roubaram exemplares da prova de dentro da gráfica do jornal Folha de S. Paulo e tentaram vendê-los ao jornal O Estado de S. Paulo. O jornal noticiou não comprou, denunciou o vazamento e o exame foi cancelado poucos dias antes da data da aplicação.

O Ministério da Educação precisou contratar, em caráter emergencial, outras empresas para aplicar o Enem.

De acordo com a AGU, os R$ 73 milhões deverão ser devolvidos ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).

A Justiça deu cinco dias para que o consórcio pague a dívida ou garanta a execução, sob pena de penhora de bens para garantir o pagamento.

O coordenador geral de cobrança e recuperação de crédito da Procuradoria Geral Federal Fábio Munhoz, disse ao jornal O Globo que “o Connasel tem até a possibilidade de discutir em juízo, mas a Justiça já deferiu o bloqueio de todos os valores depositados em eventuais contas correntes do consórcio caso a empresa não garanta o valor em bens”

O Connasel é formado pela Funrio, Consultec e e Instituto Cetro. O jornal informa que não conseguiu localizar os responsáveis pelas empresas.Компания ПромоПейджсайт: www.promopage.rumfxbrokerFlos