by /0 comments

Criação de cursos de medicina ganha novos critérios

Será levada em consideração, principalmente, a demanda por médicos em cada Estado
Os novos cursos de graduação em medicina terão que obedecer novas normas, de acordo com uma portaria publicada nesta segunda-feira, dia 4 de fevereiro, no Diário Oficial da União pelo Ministério da Educação.

Será levada em consideração, principalmente, a demanda por médicos em cada Estado, com base em dados do Ministério da Saúde.

Segundo o MEC, o cálculo da quantidade de médicos por habitante ajudará a definir o número de vagas nos cursos de medicina das instituições federais de ensino.

A infraestrutura de equipamentos e os programas de saúde disponíveis no município de oferta do curso também serão levados em conta.

A concessão da autorização dependerá ainda de pelo menos três programas de residência médica nas especialidades prioritárias (clínica médica; cirurgia; ginecologia-obstetrícia; pediatria; medicina de família e comunidade).

As instituições de educação superior também serão avaliadas in loco pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). As instituições precisam ter no mínimo conceito três no índice geral de cursos (IGC).

O Conselho Nacional de Saúde continuará emitindo um parecer sobre abertura do curso, mas os procedimentos serão normatizados por meio de portaria do MEC.

O MEC destaca que a portaria estabelece procedimentos para os processos que aguardam decisão no sistema e-MEC. Em breve, será editada “uma norma específica sobre a política regulatória para autorização de funcionamento dos cursos de graduação em medicina em instituições do sistema federal de ensino”.михаил безлепкинстоматология синус лифтингbest online casino