Desempenho dos alunos no Espírito Santo ainda é fraco - CGC Comunicação em Educação
  by /0 comments

Desempenho dos alunos no Espírito Santo ainda é fraco

Segundo o jornal A Gazeta, os alunos da rede estadual estão concluindo o 3º ano do ensino médio sem saber o mínimo necessário para chegar ao ensino superior

O resultado do Programa de Avaliação da Educação Básica do Estado (Paebes) 2010 mostra que o desempenho dos estudantes ainda está ruim. Segundo a edição desta sexta-feira, dia 25 do jornal A Gazeta, os alunos da rede estadual estão concluindo o 3º ano do ensino médio sem saber o mínimo necessário para chegar ao ensino superior.

Mais de 243 mil alunos das redes estadual, municipal e particular participaram. O exame avalia as disciplinas de matemática e português dos alunos do 1°, 2°, 5° e 9° ano do fundamental e do 1° e 3° do ensino médio.

Nos 1º e 2º anos do ensino fundamental os alunos alcançaram o nível de proficiência considerado dentro da média para a série, mas no 5º e 9º anos eles ficaram apenas o nível básico – abaixo do proficiente.

No 1º ano do ensino médio, a média do desempenho melhorou uma pouco, mas os alunos não conseguiram sair do nível básico de conhecimento. No 3º ano (é a primeira vez que é avaliado), em uma escala de 0 a 500, o desempenho em português foi 264, e o de matemática, 273. Para ser proficiente é necessário, no mínimo, 325 pontos.

O secretário de Educação, Klinger Barbosa Alves, disse à repórter Priscilla Thompson que “há um acúmulo de deficiências ao longo dos anos”. Sobre a piora no desempenho das séries iniciais do ensino fundamental, ele justificou dizendo que deve-se à entrada de alunos de seis anos, desde o ano passado. “O desempenho caiu, mas tende a se recuperar com o tempo”, afirmou.

O jornal informa que a Secretaria de Educação planeja duas ações este ano para tentar melhorar os resultados. A primeira é o Plano Estadual de Formação de Professores, que deverá receber R$ 2,5 milhões para capacitação.

A segunda ação é o lançamento do segundo guia de orientações pelo qual as escolas terão de elaborar um plano para melhorar os resultados.

“Vamos trabalhar em dois principais eixos: na atualização dos conteúdos dos professores e na inclusão de novas práticas pedagógicas no cotidiano escolar”, disse o secretário à Gazeta.

Ele prometeu ainda pagar este ano o bônus por desempenho, criado oficialmente em 2009. O Estado pagará até um salário a mais para professores e funcionários de acordo com as notas do Paebes, entre outros critérios. Este ano, já estão previstos no orçamento os R$ 46 milhões para o pagamento.

Leia a íntegra da matéria da Gazeta

Os resultados do Paebes

консул австрии в харьковеооо компания полигонсветильники спб