by

Empatia na escola

A partir do ano que vem, além das disciplinas regulares, as escolas da rede pública municipal de São Paulo vão trazer matérias que estimulem a criatividade, empatia e diversidade. Alguns colégios da cidade já aderiram à novidade.

No Colégio Jardim Anália Franco, na zona leste, a leitura do tema da aula do dia é sobre autoestima. A tarefa é definir metas para o final do ano letivo. “A nossa meta é interagir mais com outras pessoas”, diz uma aluna. Outra observa que a meta é “se concentrar mais nas aulas”.

Neste espaço, os alunos deixam de lado os cadernos de história e matemática e geografia para se dedicar a conteúdos que desenvolvem características como empatia e criatividade.

A aluna Marcella Silva Esposito diz que na escola eles “aprendem também como se relacionar com os outros, como respeitar os outros, não só matéria mesmo”.

Empatia no Colégio Jardim Anália Franco

Uma apostila foi criada só para estas aulas. A diretora do Colégio Jardim Anália Franco, Nevinka Saavedra Tomasich, diz que os “alunos gostam muito desta aula porque eles também se conhecem e valorizam a sua própria personalidade e aprendem a respeitar os amigos”.

A importância de ser assertivo, de se sentir seguro, de se conhecer. Há três anos o Colégio Jardim Anália Franco criou um programa para desenvolver as habilidades emocionais dos alunos, uma iniciativa que a partir do ano que vem, vai se estender para toda a rede municipal.

Além das disciplinas tradicionais, o novo currículo vai incluir habilidades como autonomia, determinação, responsabilidade, participação e pensamento crítico.

Empatia no Singularidades

Para a psicóloga do Instituto Singularidades, Elizabeth Sanada, “mais do que o conteúdo, a gente precisa ensinar como empregar este conteúdo na vida prática deste sujeito”.

 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone