by /0 comments

Ensino da cultura africana ainda não chegou às salas de aula

Pesquisa revela que 54% dos professores da rede municipal de São Paulo desconhecem a lei

A lei que obriga o ensino da cultura africana está sendo pouco aplicada nas escolas públicas do Brasil. De acordo com pesquisa da organização não-governamental Centro de Estudos das Relações do Trabalho e Desigualdade (Ceert), feita entre 2005 e 2006 com 987 professores do município de São Paulo, 54% desconhecem a lei e as diretrizes curriculares de valorização da diversidade.

“A lei é importante, mas ainda não tem efetividade, não tem implementação, ainda carece de um esforço por parte dos governos para assegurar sua efetiva aplicação”, disse um dos coordenadores do Ceert, Hédio Silva, em entrevista à Agência Brasil.

O levantamento mostra que o tema é abordado pelos professores somente em datas comemorativas, como a Abolição da Escravatura e o Dia da Consciência Negra. Para 38% dos professores entrevistados, falta formação para abordar o conteúdo em sala de aula.

Segundo Silva, os livros didáticos “ainda têm referências européias, eurocêntricas” e não valorizam a “geografia de identidades culturais” que formam o Brasil. “Não é razoável que um material didático possa veicular uma imagem estereotipada, que induza ao preconceito contra a população negra. É preciso introduzir valores positivos, que associem, compreendam e projetem a diversidade como a riqueza que ela representa para a humanidade”.

O diretor do Departamento de Educação para a Diversidade e Cidadania do Ministério da Educação (MEC), Armênio Bello Schmidt, reconhece a dificuldade a aponta a falta de livros didáticos sobre o tema como um dos problemas. “Nós temos muitas publicações, mas são muito poucos os materiais didáticos produzidos em grande escala que contemplam o tema”, disse ao sita do próprio MEC.

Ele informou que o MEC realiza três ações para tornar a lei efetiva: divulgação da lei por meio de seminários e fóruns nos estados; a seleção de materiais pedagógicos; e a formação de professores – segundo ele, entre 2006 e 2007, cerca de 20 mil receberam capacitação, por meio de educação à distância, com a perspectiva de formar mais 50 mil em 2008.

полигон ооо адресотзывы MFXлипецк инструмент