by /0 comments

Ensino Superior ganha 2 milhões de alunos

Número de matrículas cresce 10,6%. O setor privado ainda responde pela maior parte delas: 74,9%. O levantamento mostra ainda que há 1,5 mihão de vagas não preenchidas
O Censo da Educação Superior 2008, divulgado nesta sexta-feira, dia 27, revela que 1.936.078 novos alunos ingressaram no ensino superior, 8,5% a mais em relação a 2007. O número de matrículas foi 10,6% maior, com um total de 5.808.017 alunos cursando a graduação presencial e a distância. O setor privado ainda responde pela maior parte das matrículas: 74,9%.

O crescimento do número de matrículas não acompanhou a expansão das vagas. Em todo o país, foram registradas 1.479.318 vagas não preenchidas. As instituições privadas respondem por 98% dessas vagas. Entre 2007 e 2008, o aumento de vagas ociosas foi de 10%.

De acordo com a secretária de Ensino Superior do Ministério da Educação, Maria Paula Bucci, o fenômeno ocorre porque, durante o processo de autorização de um curso, as instituições pedem mais vagas do que de fato desejam oferecer. “O processo de autorização era muito lento. A tendência é que a instituição não precise mais fazer esse ‘estoque’ de vagas.”

A secretária acredita que é preciso ampliar as fontes de financiamento para que a população de baixa renda que ainda está fora do ensino superior possa ter acesso a essas vagas ociosas. “O Fies [Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior] está sendo reformulado para que tenha um melhor aproveitamento, hoje ele é usado em grau muito menor do que poderia.”

Outro dado apresentado pelo censo é o alto índice de evasão. Pouco mais da metade dos estudantes (57,3%) conseguiu se formar. A taxa de conclusão foi calculada pela razão entre o número de concluintes de 2008 e os ingressantes de 2005. As menores taxas de conclusão registradas em 2008 são de instituições privadas: 55,3%. Entre as públicas o índice é de 65%.

A educação superior também ganhou 1,2 mil novos cursos, um aumento de 5,2%. O maior crescimento relativo foi nas instituições federais, que apresentaram um aumento de 6,8%. Das 2.252 instituições de ensino superior em funcionamento no país no ano passado, 90% eram particulares e 10% públicas, incluindo universidades federais, municipais e estaduais.

Em relação ao número de instituições de ensino superior em funcionamento, houve uma redução de 29, finalizando a tendência de crescimento verificada em anos anteriores. Para o Inep, a diminuição pode ser explicada pela fusão ou compra de instituições.

O levantamento mostra que houve uma redução no crescimento do número de novos estudantes no ensino presencial. Em 2008, houve um aumento de 1,6% em relação aos dados de 2007. Em anos anteriores, esse aumento girava em torno de 7,2%.

Já as matrículas em cursos superiores de educação a distância cresceram 96,9% de 2007 a 2008. Ao todo, são 727.961 universitários que optaram pelo ensino superior não presencial. As matrículas da educação a distância já correspondem a 14% da oferta de ensino superior no país.

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Reynaldo Fernandes, garante que a expansão ocorre com qualidade. “Nós controlamos isso nas avaliações e não há diferença nos resultados dos alunos de cursos a distância e presenciais no Enade [Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes]”, afirmou.

A íntegra do Censo da Educação Superior 2008отзовикооо полигонlas vegas casino