by /0 comments

Brasil é campeão da 13ª Olimpíada Ibero-Americana de Física

Foram três medalhas de ouro e uma de prata. A cearense Mariana Quezado Costa Lima foi a primeira mulher a ganhar ouro e a maior nota geral em todas as 13 edições do evento

Com três medalhas de ouro e uma de prata o Brasil foi o campeão da 13ª Olimpíada Ibero-Americana de Física, realizada em Morélia, no México, de 28 de setembro a 3 de outubro. Segundo os organizadores, a equipe brasileira obteve ainda a melhor nota nas provas experimental e teórica e a primeira posição na classificação geral.

Os cearenses Mariana Quezado Costa Lima e George Gondim Ribeiro e o paulista Leonardo Mendes Valerio Almeida ganharam o ouro e Deric de Albuquerque Simão, também do Ceará, ficou com a prata. Mariana foi a primeira mulher a ganhar ouro e a maior nota geral em todas as 13 edições do evento.

Segundo o professor Carlito Lariucci, do Instituto de Física da Universidade Federal de Goiás, que acompanhou os alunos na competição, eles foram selecionados foram na Olimpíada Brasileira de Física (OBF) de 2006, evento organizado pela Sociedade Brasileira de Física (SBF). “Desde então, eles receberam treinamento de seus professores, dos coordenadores estaduais da OBF, além de terem feito diversas provas seletivas”, disse Lariucci.

Antes de viajar para o México, eles passaram por um treinamento intensivo no Instituto de Física da Universidade de São Paulo, em São Carlos, sob a coordenação do professor Euclides Marega Jr.

Em 2007, a equipe brasileira ficou com a segunda colocação na Ibero-Americana e levou medalha de bronze na Olimpíada Internacional. Este ano, além de vencer a Ibero-Americana, ganhou pela primeira vez uma medalha de prata na Olimpíada Internacional.

A Olimpíada Ibero-Americana contou com a participação de 68 estudantes do ensino médio de 19 países.

O site oficial do evento

apa itu copy writingtranslation costsвсе для хамама