Fundo do pré-sal para a educação é prioridade do novo presidente da Ubes - CGC Comunicação em Educação
  by /0 comments

Fundo do pré-sal para a educação é prioridade do novo presidente da Ubes

O amazonense Yann Evanovick, de 19 anos, também defendeu o fim do vestibular, uma nova legislação para a meia-entrada e o fortalecimento dos grêmios estudantis
Ricardo Reis/Divulgação
Yann Evanovick é membro da União da Juventude Socialista
Yann Evanovick é membro da União da Juventude Socialista

O novo presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), o amazonense Yann Evanovick, de 19 anos, vai priorizar a luta em defesa da destinação dos recursos do fundo do pré-sal para a educação. Ele foi eleito neste final de semana durante o 38º Congresso da UBES, realizado em Belo Horizonte, com a presença de mais de 2,3 mil estudantes de todo o Brasil.

De acordo com a assessoria de imprensa da entidade, Evanovick também defendeu o fim do vestibular, uma nova legislação para a meia-entrada e o fortalecimento dos grêmios estudantis. “Esse deve ser o momento de fortalecer a rede do movimento estudantil, construindo uma grande campanha de criação de grêmios em todo o país”, disse Evanovick.

Na opinião dele, “o movimento estudantil está preparado para enfrentar as principais lutas e defender os interesses dos estudantes e da sociedade, respondendo, inclusive, aos ataques e as tentativas de criminalização dos movimentos sociais”.

O ministro do Desenvolvimento Social, Patrus Ananias, esteve no congresso e também defendeu o uso do pré-sal para a educação, ao afirmar que o petróleo é instrumento de afirmação da soberania do Brasil e que o pré-sal será fundamental para a emancipação do povo brasileiro.

O presidente da Agência Nacional de Petróleo (ANP); Haroldo Lima, disse também ser favorável à reivindicação do movimento estudantil de que 50% dos recursos do Fundo Social do Pré-Sal sejam destinados à educação. “Precisamos reforçar a educação da juventude em um nível muito elevado”, afirmou.

Durante a abertura do Congresso, na quinta-feira, foi lançado o livro “UBES, uma rebeldia consequente”, de Raisa Marques e André Cintra, resultado de dois anos de pesquisa e entrevistas com os ex-dirigentes que ajudaram a construir a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas.

“O livro vai fazer com que a UBES e o movimento estudantil sejam ainda mais respeitados e valorizados”, disse Raisa Marques. O livro é uma produção independente da entidade e tem 324 páginas.ноутбук в москве дешевоалександр лобановскийblood sucker