by /0 comments

Inep garante segurança sólida para o Enem

O Enem será aplicado neste final de semana. Mais de 4,6 milhões de estudantes devem participar da prova em 1,8 mil municípios
O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Joaquim Soares Neto, garante que há “uma estrutura sólida de segurança” para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste ano para evitar que a prova vaze, como aconteceu em 2009, fato que provocou a demissão de Reynaldo Fernandes da presidência da autarquia do Ministério da Educação. O Enem será aplicado neste final de semana. Mais de 4,6 milhões de estudantes devem participar da prova em 1,8 mil municípios.

Em entrevista à Agência Brasil, ele destaca que a principal mudança neste ano é a inclusão da prova de língua estrangeira. “O estudante tem que tomar bastante cuidado na hora da prova. Isso porque o caderno vai trazer questões de inglês e espanhol, mas a folha de resposta vem com a língua estrangeira que ele escolheu. Portanto, ele tem que responder a prova referente à língua escolhida, não pode trocar na hora”, disse.

Sobre as reclamações dos candidatos de que os enunciados das questões eram muito longos e cansativos em 2009, o presidente do Inep disse que “a prova deve ser balanceada”. “A orientação foi para que os enunciados fossem compatíveis com o tempo da prova, mas sem perder uma característica do Enem que é a de medir competências”, afirmou na entrevista à agência de notícias do governo federal.

Joaquim Soares Neto destacou que a segurança da prova envolveu todas as secretarias de Segurança Pública dos estados, as três Forças Armadas e a Polícia Federal. “Toda a impressão foi feita em uma gráfica de segurança máxima”, afirmou. Segundo ele, a distribuição pelos Correios terá batedores acompanhando as provas e também foi reforçada a segurança da aplicação com mais fiscais nos locais de prova. “Vejo tudo isso como uma estrutura bastante sólida para garantir o sigilo e a segurança do Enem. Fizemos tudo que estava ao nosso alcance”, disse.

Ele admite que o modelo de prova do Enem vem sofrendo alterações ao longo dos anos. “Na sua proposta inicial, o Enem foca as competências e habilidades dos alunos. Hoje, o que a sociedade precisa é de pessoas com capacidade de desenvolver análises para que possam se colocar perante um problema e resolvê-lo”, disse.

Também falando para a Agência Brasil sobre o Enem, o ministro da Educação, Fernando Haddad, disse que a aplicação de duas edições do Enem por ano dependerá do próximo ministro. “Já existem condições legais para isso”, afirmou.

De acordo com ele, uma portaria publicada este ano permitiu que a gráfica e o consórcio contratado para aplicar o exame participem do Enem até 2014, sem a necessidade de repetir o processo de licitação.Корпоративный сайт с готовым дизайномкисти Natural Shineмедецинские справки