by

Lição de casa: decidir a escola – ênfase em tecnologia

estadao260916

 

No início de agosto, dois professores da Escola Lourenço Castanho foram para o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês) – a melhor universidade do mundo, segundo rankings do setor. A visita à instituição dos Estados Unidos teve um único objetivo: apresentar o Simple System Two, computador projetado pelos alunos do 7.º e do 8.º ano do ensino fundamental.

A Lição da Lourenço Castanho

“Muitos pais, quando nos procuram, querem saber se a escola tem um tablet por aluno, porque esse ainda é o senso comum de um colégio que abre espaço para o conhecimento tecnológico”, explica Fabia Antunes, diretora de Currículo da Lourenço Castanho. “Nessa hora, explico que isso seria apenas fazer uma substituição de plataforma, um uso acéfalo dessas tecnologias.”

Para evitar esse risco, mesmo antes de o currículo ganhar forma, os educadores viajaram a centros de capacitação na região do Vale do Silício. Na volta, criaram uma incubadora e decidiram que o projeto daria prioridade ao laboratório de criação, hoje componente curricular dos últimos anos do fundamental.

Foi isso que chamou a atenção do empresário Paulo Ricardo Gallas, pai das gêmeas Helena e Manuela, alunas do 7.º ano. As meninas estudavam em uma escola bilíngue que oferecia apenas os anos iniciais do fundamental. Ao procurar o colégio em que dariam sequência aos estudos, Gallas priorizou o investimento em tecnologia. “Levei em conta as aulas de Robótica e a estrutura física, como os laboratórios de Ciências e de Criação.”

Foi nesse último que Helena participou do processo completo de criação do Simple System Two, o computador apresentado no MIT. Coube aos alunos inventar o design e a logomarca, aprender a programar e a criar jogos e desenhar o protótipo (moldado por um cortador a laser).

A Lição da Stance Dual

É o uso integrado da tecnologia, que mescla os saberes de várias disciplinas na construção de um novo conhecimento. Essa também é a proposta da Escola Stance Dual. Lá, a disciplina workshop faz parte do currículo e tem por objetivo desenvolver habilidades de Ciências, Tecnologia, Matemática e Engenharia na resolução de problemas reais.

“Temos um grupo de alunos usando robótica e programação para construir um projeto que possibilite ao dono de um sítio aproveitar a água da chuva e aquecer melhor o galinheiro local”, explica Marcos Cruz, coordenador dos anos finais do ensino fundamental. “A tecnologia só faz sentido se estiver contextualizada.”

Ênfase em tecnologia: Adotar tecnologia, nesse tipo de escola, não costuma se limitar ao uso de eletrônicos e ambientes digitais. A ideia é fazer uma abordagem integrada da tecnologia, misturando disciplinas, para desenvolver no aluno a habilidade de aplicar o raciocínio em situações reais. Aulas de Robótica podem estar na grade curricular.

SERVIÇO

Escola Lourenço Castanho

Mensalidade: infantil: R$ 2.816; fundamental I: R$ 2.989; fundamental II: R$ 3.298,00 e médio: R$ 3.574,00

Nota no último Enem: 632,36 (objetiva) e 650,82 (redação)

Matrículas: a partir de outubro

Site: www.lourencocastanho.com.br

Escola Stance Dual

Mensalidade: infantil: R$ 3,5 mil; fundamental: R$ 5.295 – o valor dá direito a tempo integral, com aulas de natação, música, artes, culinária, jardinagem, xadrez, teatro e esportes

Nota no último Enem: não há, pois a escola oferece apenas até o fundamental

Matrículas: abertas até o preenchimento das vagas

Site: www.stance.com.br

 

Por Ocimara Balmante, especial para O Estado de S. Paulo

 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone