by

Limites na infância

O educador Paulo Ronca lança seu novo livro Senta e Pensa – Construindo limites na infância. A obra discute a postura dos pais na construção de limites e valores diante das transformações da sociedade. Escute a entrevista da Rádio CBN

O egocentrismo vivido pela criança a faz sentir-se só, como se fosse a única criatura no mundo. Ela se sente o centro do universo e tudo e todos devem girar em torno dela.

As sensações, percepções, desejos e sentimentos em relação ao mundo que povoam o inconsciente da criança são absurdamente egocêntricos. Esta é uma lei do desenvolvimento natural e normal dos humanos. O que se há de fazer?

Piaget faz uma brilhante analogia para explicar o egocentrismo, quando afirma que a criança leva tudo à boca. Sim, diz ele, não é a mão que leva as coisas à boca, mas é esta que “puxa” tudo para dentro de si. Se isso assim é, ela não tem capacidade de compreensão de que, além dela, existe o ‘outro’; assim, crê que tudo e todos vivem para contentar as suas vontades e satisfações. Tais dimensões são comuns e habituais; contudo (espera-se…) momentâneas e passageiras.

A criança se acha a dona do mundo: de tudo, de algumas pessoas, de brinquedos, de objetos, sendo que, por vezes, por exemplo, na hora em que está comendo, alguém diz:eu vou comer o seu papá, ao que ela responde de imediato: “não, ete é m-e-u papá; vai bora daqui”. Tudo e todos passam a girar em torno dela para somente atender aos seus instintos primitivos ou satisfazer às necessidades naturais, tanto as básicas (aquelas de sua própria natureza), como as culturais (criadas pela comunidade em que vive e que são assimiladas por ela).

Egocêntrica, a criança, digamos, passa a ser refém dela mesma. Todos esses fenômenos causam tensões psicológicas, dividindo-a entre as permissões ou as ordens do mundo adulto e o que ela pode ou sente vontade de fazer. Tudo é dela e para ela, o que torna difícil dividir com os outros. Por ser mais difícil, dividir é a operação da Aritmética ensinada por último na vida escolar. Primeiro a soma, depois a subtração, a multiplicação e por última a divisão. Se assim é na escola, também é na vida.

 

Fonte: CBN (Escute a entrevista clicando no link)

limites

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone