by

As linhas tortas da redação do Enem

O grande número de provas zeradas na última edição do Enem reacendeu o debate sobre as falhas na aprendizagem da leitura e da escrita, deixando claro que a produção textual não é assunto apenas para as aulas de língua portuguesa, mas para todas as disciplinas.

Taiane Cechin tem 17 anos e está no 1º ano da faculdade de Medicina. O objetivo foi alcançado ao concluir o ensino médio no Colégio Regina Coeli, em Veranópolis (RS), cidade a 150 Km de Porto Alegre. Taiane está entre os 250 candidatos que tiraram a nota máxima em redação no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) em 2014: mil pontos. Para esse feito, eles alcançaram a excelência nas cinco competências exigidas nessa etapa da prova.
A mãe de Taiane, Neli Cechin, conta que a garota é extremamente estudiosa, daquelas que nunca se limitaram ao conteúdo da escola. “Ela sempre buscou mais”, afirma Neli, professora de língua portuguesa. Jornais, revistas, livros: Taiane sempre “devorou” tudo o que caía em suas mãos, hábito influenciado pela mãe, que contava histórias para a filha e desde muito cedo incentivava a leitura.

Neli lembra que, ao entrar na fase de alfabetização, a filha produziu um pequeno texto com diálogos e pontuações coerentes: dois pontos, travessão. “Perguntei quem a tinha ensinado, e ela respondeu que havia visto nos livros.” Somam-se a isso cerca de 12 horas de estudos diários e aulas em cursinho pré-vestibular concomitantes com o último ano do ensino médio. O resultado foi o ingresso no curso de Medicina da Universidade de Caxias do Sul (UCS), facilitado pelo bom desempenho no ENEM e por uma produção de texto impecável.
Além de lançar luz sobre os alunos que se destacaram, outro dado do último ENEM despertou atenção: mais de 500 mil candidatos tiveram nota zero em redação, número que acabou sendo pauta para muitas discussões em torno da educação no Brasil. Entre eles, cerca de metade teve a redação anulada e os demais entregaram a prova em branco. Cabe lembrar que, entre os quase 9 milhões de inscritos, apenas 1,7 milhão estava na 3ª série do ensino médio (…).

Confira o restante da matéria acima. 

Fonte: Revista Pátio, junho de 2015.

Leia também:

Encantadores de alunos

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone