by /0 comments

Matrícula no ensino a distância cresce 100%, mas há 700 mil vagas ociosas

Para o MEC, a tendência é aumentar o número de alunos, já que as instituições estão incorporando a modalidade, informa o jornal Folha de S. Paulo

O número de alunos matriculados em cursos superiores a distância cresceu 106% entre 2007 e 2008, de acordo com dados do Ministério da Educação. No entanto, informa o jornal Folha de S. Paulo, a oferta é bem maior que a procura: em todo o Brasil há mais de 1,5 milhão de vagas.

No ano passado, 109 instituições de ensino públicas e privadas receberam 761.099 matrículas nessa modalidade de EAD (educação a distância), contra 370 mil em 2007.

O secretário de Educação a Distância do MEC, Carlos Eduardo Bielschowsky, disse à repórter Paula Nunes que a tendência é aumentar o número de alunos, já que as instituições estão incorporando a modalidade de ensino a distância.

Atualmente, o Ministério da Educação avalia 472 processos de credenciamento de polos presenciais de educação a distância. De acordo com a legislação, no mínimo 20% das horas-aula dos cursos credenciados pelo MEC são obrigados a ter uma carga presencial.

Os polos de apoio presencial são exigidos, regulados e fiscalizados pelo MEC e funcionam como uma base para o acompanhamento pedagógico e administrativo dos alunos. Os locais devem conter, entre outros elementos, laboratório, espaço multimídia e salas de aula e podem ser compartilhados e mantidos por mais de uma instituição de ensino.

Para obter autorização de um curso de graduação a distância, a instituição deve oferecer um desses espaços aos estudantes que estão em alguns casos longe da sede física da instituição de ensino.

O presidente da Associação Brasileira de Educação a Distância, Fredric Michael Litto, disse ao jornal que a manutenção dos polos aumenta o custo das instituições de ensino e “pode dificultar o acesso de alunos com menor poder aquisitivo”.

александр лобановскийлобановский александркомпрессор с ресивером