by /0 comments

MEC admite lentidão no Pronatec

Segundo o Ministério da Educação, este ano foram feitas apenas 300 mil matrículas, mas a meta para o ano é de 1,6 milhão de inscritos
O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e ao Emprego (Pronatec), uma das principais promessas do governo federal, “roda em uma velocidade um pouco lenta”, admitiu o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Marco Antonio de Oliveira, em depoimento na Comissão de Trabalho da Câmara, nesta quarta-feira, dia 22. Segundo ele, este ano foram feitas apenas 300 mil matrículas, mas a meta para o ano é de R$ 1,6 milhão.

Apesar da lentidão, ele acredita que a meta será atingida. “O programa ainda roda em uma velocidade um pouco lenta em relação àquilo que se espera. A partir dos próximos meses, especialmente do segundo semestre, vamos entrar em linha e assegurar que a meta seja alcançada”, afirmou, de acordo com a Agência Câmara.

Das 1,6 milhão de matrículas previstas para este ano, 500 mil são em cursos técnicos com 800 horas de duração e 1,1 milhão em cursos de formação inicial e continuada, com um mínimo de 160 horas de aulas. O orçamento para este ano é de R$ 1,7 bilhão.

O secretário do MEC considerou normal a lentidão nessa fase e disse que as dificuldades decorrem da extensão do Pronatec. Muitas das metas, ressaltou, dependem de parcerias e ainda da integração entre outras iniciativas já existentes.

Na opinião dele, o programa precisa criar um sistema que ofereça cadastro e inscrição dos alunos pela internet.

Até 2014, a meta é ofertar 8 milhões de vagas no conjunto das redes que virão a operar o Pronatec.раскрутка сайта стоимостьxn dtbhusmjtлепка на стене