by /0 comments

MEC condiciona metas do Plano Nacional de Educação aos royalties de petróleo

Em audiência no Senado, o ministro da Educação disse que não há dinheiro para investir 10% do PIB em educação até 2023. A decisão sobre os royalties deve sair nesta sexta-feira
O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmou nesta quinta-feira, em audiência pública no Senado, que o cumprimento das metas do Plano Nacional de Educação (PNE) depende integralmente dos repasses de recursos dos royalties de petróleo. A decisão sobre o dinheiro dos royalties deve sair nesta sexta-feira.

A Agência Brasil informa que ele disse que o governo não tem dinheiro para cumprir a meta de investir 10% do Produto Interno Bruto (PIB) em educação até 2023.

Entre as metas do PNE estão a matrícula de todas as crianças de 4 a 5 anos em escolas da rede pública até 2016 e a ampliação em 50% do número de creches até 2022. Mercadante destacou que para cumprir a meta de creches é necessária uma parceria entre o governo federal e as prefeituras. O ministro prometeu construir 6 mil creches até 2014, sendo que 2,6 mil já estão em obra.

O ministro também citou que será preciso ampliar o espaço físico das escolas para atender o objetivo de estabelecer o ensino integral em 50% das escolas públicas de todo o país.

O ministro também pediu aos senadores pressa na votação do projeto de lei do PNE, já que o plano deveria estar em vigor desde 2011.

Ele também aproveitou audiência para defender o seu projeto de alfabetizar todas as crianças até 8 anos. “A [falta de] alfabetização é a raiz do problema”, disse.technical frenchкаты гуглzeus casino game