by /0 comments

MEC orienta, mas escolas já fazem

O secretário Nacional Antidrogas, Paulo Uchoa, disse que o ministério da Educação terá o papel de orientar metodologicamente o curso de capacitação de professores para o combate às drogas nas escolas. Em entrevista ao jornal NBR Manhã, da TV a cabo da Radiobrás, o ministério dará apoio por meio de livros confeccionados para esta finalidade”…

O consumo de drogas representa um grave problema de saúde pública no país e no mundo. Encarar a questão requer, entre outros fatores, a coragem sem falsos moralismos. Um desafio que vem sendo encarado pelas escolas de maneira cada vez mais consistente.No entanto, a decisão do MEC em orientar professores para o combate às drogas é prática diária e constante nas boas escolas particulares de São Paulo.

A prevenção ao uso de drogas na Escola Stance Dual, por exemplo, acontece desde a mais tenra idade. Um dos eixos do trabalho gira em torno da educação para a saúde, o que possibilita uma ação preventiva com os alunos desde a educação infantil até a 4ª série do ensino fundamental. “Acreditamos que seja importante trabalhar temas que colaboram para a prevenção, tais como auto-estima, trabalho em equipe, capacidade de lidar com frustrações”, conta a orientadora educacional Valéria Amâncio. Para isso a escola utiliza a educação alimentar e o esporte como pilares que sustentam o projeto. “Ao incentivar a boa alimentação, aliada a sua necessidade para um bom desempenho esportivo, o aluno tem mais chances de ficar longe das drogas, já que o seu consumo pode comprometer todo o resto”, afirma Amâncio.

A ação se dá com a parceria entre a orientação educacional e o coordenador da área esportiva. “No esporte, o aluno trabalha todas essas questões: saber ganhar, saber perder, respeito a diferenças, espírito de equipe. As atividades são elaboradas a partir desses princípios”, explica Valéria. Já com adolescentes, a escola realiza uma ação mais direta. Contratou um professor para ministrar a aula de ciências com formação, além da biologia, em psicofarmacologia e especialização em adolescentes.

Segundo a coordenadora pedagógica Ana Maria David é nesta fase que a escola se depara com a realidade das festinhas onde eventualmente as drogas, tanto as lícitas como as ilícitas estão presentes. “Os conteúdos das disciplinas do ensino fundamental de 5a a 8a série favorecem uma abordagem mais direta com os alunos”, conta. Numa aula em que os alunos estão aprendendo o sistema nervoso, por exemplo, o professor abre espaço para tratar de algumas questões do ponto de vista fisiológico.

“O jovem cria muitas fantasias quanto aos efeitos das drogas. Procuramos dar o máximo de informações para que diminuam as expectativas e evitem ter uma visão errada do que realmente acontece quando uma determinada droga é ingerida”, explica Waldir Hernandes, professor de ciências da Stance Dual, afirmando que um dos objetivos da prevenção é a diminuição da expectativa. Como produto desse trabalho, os alunos farão monografias que seguirão os passos de uma pesquisa científica, mas com conteúdos adaptados à série.планшет ноутбуккоммерческий консалтингчто можно сделать из гипса своими руками

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone