by /0 comments

Ministro acha que 37% de abstenção do Enem está dentro da normalidade

Fernando Haddad acredita que o grande número de estudantes que não fizeram a prova em São Paulo (46,9%) aumentou o índice nacional
O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou nesta terça-feira que o índice recorde de abstenção de 37,7% na prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) está dentro dos padrões de normalidade. “De tudo que ouvi de especialistas da área, da Cesgranrio, do Cespe [instituições que organizam concursos públicos], é natural um aumento da abstenção quando o exame se realiza muito depois da inscrição”, disse ele, de acordo com a Agência Brasil.

O vazamento da prova obrigou o MEC a adiar a prova em 60 dias. O período entre a inscrição e a aplicação da prova foi de quase cinco meses.

O ministro acredita que o grande número de estudantes que não fizeram a prova em São Paulo (46,9%) aumentou o índice nacional. “Se excluirmos o Estado de São Paulo, onde o impacto do adiamento foi mais forte, nos demais estados, a abstenção ficou em torno de 33%, 34%, que é a média de concursos públicos”, disse. Haddad lembrou o Enem de 2004, quando o índice de abstenção foi de 32%.

Segundo ele, a divulgação do gabarito do Enem com erro foi apenas um problema no processamento da prova.

O ministro disse que vai esperar o final das investigações sobre o vazamento da prova para decidir se haverá punições no no Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Eduacionais (Inep), autarquia do MEC responsável pela prova. Ele disse que os servidores estão “abalados” por causa do furto.большой теннис в москвеbest online translatorкартинки шортов для девочек