by /0 comments

Obras atrasam ano letivo de 10% dos alunos da rede municipal de Manaus

Pelo menos 38 escolas municipais e uma estadual ficaram fechadas este ano por causa das reformas, informa o jornal Folha de S. Paulo

Cerca de 23,5 mil alunos da rede municipal de Manaus começaram as aulas em 2011 com, no mínimo, seis meses de atraso em razão de reformas nas escolas, mostra o jornal Folha de S. Paulo. Em uma delas, as aulas só começaram esta semana. O número de estudantes afetados é 10% na rede municipal e de 0,2% na estadual.

A reportagem de Kátia Brasil informa que 38 escolas municipais e uma estadual ficaram fechadas este ano por causa das obras. Para repor o calendário, haverá aulas no período de festas de fim de ano e em 2012, inclusive aos sábados. As escolas mais atrasadas só irão normalizar as aulas em 2014, diz o jornal.

O jornal visitou duas escolas. Na escola municipal Jarlece Zaranza, o edifício estava reformado, porém fechado. A dona de casa Suelen Silva, disse que a direção da escola havia informado que as aulas começariam em 18 de novembro, depois no dia 29 e agora ficou para o fim de dezembro. “Meu filho não estuda faz um ano”, afirmou.

Na escola municipal Ana Mota Braga, o ano começou na segunda para 499 alunos do ensino fundamental. A lavadeira Francisca de Lima disse que recorreu ao Ministério Público com outras nove mães pedindo a volta das aulas. “A direção disse que o 7º ano será feito em seis meses. Depois de setembro [de 2012], minha filha começará o 8º”, afirmou.

O juizado da infância e juventude atua em duas ações movidas por pais de alunos e pelo Ministério Público Estadual. A juíza Rebeca de Mendonça Lima determinou que a Secretaria Municipal alugasse um prédio para os alunos da escola Ana Mota Braga, mas a decisão não foi cumprida. “A situação causa prejuízos às crianças matriculadas em razão da negligência [das autoridades]”, disse a juíza ao jornal.

A secretaria municipal acredita que o atraso não causará “ônus” para os alunos e que o calendário especial permitirá cumprir a legislação. No entanto, o calendário de reposição não foi detalhado. “A legislação de diretrizes e bases nos orienta nestas questões e não haverá ônus para os alunos”, afirmou o secretário Mauro Lippi. Segundo ele, 245 das 492 escolas da rede já foram ampliadas e reformadas.

A secretaria de Estado disse que o calendário especial na escola estadual General Sampaio, que passou por reformas, terminará em janeiro de 2012.

взлом wowкосметические интернетсеть стоматологических клиник