by /0 comments

Piso do professor fica em R$ 1,1 mil; sindicato e deputada criticam

A deputado Fátima Bezerra, indicada para presidir a Comissão de Educação e Cultura da Câmara, anunciou que está relançando a frente parlamentar em defesa do piso
O piso nacional do magistério terá um reajuste de 15,8% e passa a valer R$ 1.187, retroativo a janeiro, definiu o Ministério da Educação nesta quinta-feira, dia 23. O salário é para uma jornada semanal de 40 horas para professores de educação básica da rede pública.

O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Roberto Leão, disse o valor ficou abaixo das estimativas calculadas pela categoria, que reivindica um mínimo de R$ 1.597, com aumento de 21%. “No nosso entendimento, a base de cálculo de reajuste usada pelo ministério está errada”, disse ele à Agência Brasil.

A deputado Fátima Bezerra (PT-RN), indicada para presidente da Comissão de Educação e Cultura da Câmara, também criticou o valor estabelecido pelo MEC e anunciou, na sua página no twitter, que está relançando a frente parlamentar em defesa do piso.

Além de definir o valor, o MEC informou que irá alterar as regras para facilitar o repasse de recursos para Estados e Municípios que não conseguirem pagar o piso aos professores. O ministério informa que há R$ 1 bilhão no Orçamento para ajudar os governos.

No entanto, pelas informações divulgadas pela agência de notícias do governo federal, os novos critérios anunciados já existem na lei: governadores e prefeitos terão que demonstrar “cabalmente” o impacto do cumprimento do piso nos seus orçamentos; aplicar 25% das receitas em educação; e ter um plano de carreira para o magistério.freevulkanclub.comмунтян владимир колледжоборудование для диагностики