by /0 comments

Professores paulistas não terão aumento; só bônus

Em debate na Folha de S. Paulo, a secretária da Educação, Maria Helena Guimarães de Castro, e o presidente do sindicato dos professores, Carlos Ramiro de Castro, divergiram sobre os rumos da educação pública paulista

Por Fábio Galvão

 

Na semana em que os trabalhadores em educação estão prometendo uma greve nacional, marcada para esta sexta-feira, dia 14, o governo de São Paulo sinalizou que não haverá aumento salarial este ano para os professores. Em debate no jornal Folha de S. Paulo na segunda-feira à noite, dia 10, a secretária estadual da Educação, Maria Helena Guimarães de Castro, disse que não há previsão de reajuste e que o bônus por mérito, a ser criado em breve, será pago em 2009. “Não cabe a mim defender o aumento. Esta é uma questão de governo”, disse.

Para o presidente do sindicato dos professores (Apeoesp), Carlos Ramiro de Castro, que também participou do debate, o bônus não vai melhorar a qualidade da educação em São Paulo. “É uma política requentada. Nós precisamos é de um plano de carreira que incentive o professor”, afirmou. Ele disse que os professores estão há três anos sem reajuste nos salários e acusou parte da imprensa de organizar uma ação visando à desvalorização dos profissionais da educação, em especial os professores. Ramiro evitou atacar diretamente a secretária, mas o site da Apeosp diz que ela “fez algumas afirmações que deixam clara a intenção do governo José Serra de desqualificar os professores”.

A política de premiação por mérito também dividiu os outros dois professores que participaram do debate, mediado pelo colunista do jornal Gilberto Dimenstein. Para José Marcelino Rezende Pinto, da USP de Ribeirão Preto, os professores ganham mal e a premiação poderá prejudicar ainda mais as escolas que estão em dificuldades. Ele disse que o governo deveria ampliar os recursos destinados à educação e incentivar a participação da comunidade através dos conselhos escolares.

Já Eduardo Andrade, do Ibmec-SP, criticou a isonomia salarial e disse que o bônus é uma maneira de fazer justiça aos melhores professores. Ele defendeu ainda a instituição de penalidades para os professores que não apresentarem resultados positivos e sugeriu o fechamento das escolas ruins.

Lembrando que é funcionária pública de carreira e professora, Maria Helena Guimarães de Castro admitiu que a rede tem problemas, mas ressaltou que São Paulo está melhorando nos índices de desempenho. “A rede não está em frangalhos”, disse. A secretária afirmou que a prioridade da sua gestão é assegurar uma escola pública de qualidade e garantir que o aluno aprenda. Ela anunciou ainda que irá reduzir o número de alunos por classe, reequipar as bibliotecas e extinguir as escolas com três turnos.

Um dos pontos de convergências entre os debatedores foi a importância da adoção de uma política de Estado e não uma política de governo. Para o Eduardo Andrade, tanto o PSDB quanto o PT ou qualquer outro “p da vida” devem pensar a qualidade da educação como uma ação de longo prazo. Na visão do professor do Ibemec, as mudanças constantes desestimulam os profissionais da educação.

José Marcelino Rezende Pinto criticou a municipalização do ensino – segundo ele a rede estadual de São Paulo perdeu 2 milhões de alunos nos últimos anos – e defendeu uma rede única, com ênfase no regime de colaboração entre União, Estados e Municípios.

O presidente do sindicato cobrou da secretária de Educação maior participação da categoria nas decisões do governo. Na visão dele, apesar de o PSDB estar no poder há 13 anos em São Paulo, as políticas públicas da área não têm continuidade e estão prejudicando a educação em São Paulo.

Maria Helena Guimarães de Castro reconheceu o problema, mas destacou que hoje há mais sintonia entre os governos estadual e federal e a sociedade civil, através do movimento Todos Pela Educação. “A educação tem que estar acima da política. Só com criatividade, coragem e a união de todos conseguiremos uma educação pública de qualidade para todos”, disse.

Leia na Folha: SP define critério para bônus de professor em escolas

 

Veja a mobilização para a greve nacional

 

O site da Secretaria de Educação

O site da Apeoesp

Lagoon 39объявления авитодеревянный паркет