by /0 comments

Programa do ensino técnico é ampliado e empresas terão financiamento

Quem abandonou os estudos poderá retornar para fazer tanto o curso regular quanto o estudo técnico
O governo federal anunciou duas mudanças no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), nesta quarta-feira: ampliação das matrículas pós ensino médio e financiamento para empresas promoverem cursos de formação.

Em 2013, os alunos que terminaram o ensino médio poderão se matricular Atualmente o programa permite apenas cursar os dois cursos (regular e técnico) simultaneamente. Quem abandonou os estudos também poderá retornar para fazer tanto o curso regular quanto o estudo técnico. Também haverá bolsas-formação para estudantes de cursos técnicos integrados à educação de jovens e adultos.

Outra medida é a regulamentação do Financiamento Estudantil para Empresas (Fies-Empresa), pelo qual empresas de pequeno, médio e grande portes poderão financiar a qualificação dos funcionários em vagas oferecidas pelos Sistema S ou por escolas particulares habilitadas pela rede federal.

Também serão ampliadas as vagas para egressos do sistema prisional e para reabilitação profissional por meio de convênio com os ministérios da Justiça e da Previdência.

A presidenta Dilma Roussef garantiu que o programa já atendeu em torno de 2,5 milhões de pessoas desde 2011. Os cursos técnicos tiveram cerca de 800 mil matrículas enquanto os cursos de formação inicial e continuada registraram 1,7 mil matrículas, sendo 500 mil por bolsa e 1,2 mil pelo Sistema S. Até 2014, a promessa é chegar a 8 milhões de matrículas.

De acordo com o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, 55% das vagas do programa são oferecidas pelo Senai, que pretende chegar à marca de 4 milhões até 2014. Para isso, serão investidos cerca de R$ 2 bilhões. Desse total, R$ 1,5 bilhão são do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A presidenta afirmou que a parceria entre governo federal e iniciativa privada demonstra maturidade política para o desenvolvimento.

Dilma anunciou também a criação de 35 unidades da rede federal em 19 estados, que terão capacidade de ofertar 1,2 mil vagas, cada uma.отзыв Topodinноутбук игровой купитьfree bets online