by

Reciclagem e inclusão social

finestra

Os alunos do Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo Beatriz Périco Silveira, Fernanda de Lourdes Ferreira e Yuri Barão Sato desenvolveram uma cooperativa de reciclagem de lixo sustentável no Centro de São Paulo em seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Técnico de Edificações.

Com o título “A Arquitetura de uma Cooperativa: Um Projeto de Vida Para os Catadores”, a monografia de 74 páginas apresenta estudos sobre o histórico da reciclagem em São Paulo e os problemas sociais que permeiam o trabalho com lixo, os sistemas construtivos, arquitetura, ergonomia, segurança e as instalações prediais hidráulicas e elétricas. Os alunos também realizaram vários trabalhos de campo no entorno da escola e visitas a cooperativas de reciclagem e à feira ExpoCatadores. “O objetivo é projetar uma cooperativa de catadores que seja funcional, dinâmica, atual, sustentável e que permita a inclusão dos trabalhadores num contexto de aperfeiçoamento técnico e acesso à educação”, escrevem os alunos Beatriz Périco Silveira, Fernanda de Lourdes Ferreira e Yuri Barão Sato na monografia.

Reciclagem real

O projeto tem como orientador o coordenador do curso de Edificações do Liceu, o arquiteto e professor Diogo Guermandi, ex-aluno do Liceu e formado pela FAU-USP. Ele explica que os TCCs são um excelente método de ensino porque aproxima os alunos do mundo real. “Os alunos encontraram um terreno próximo da escola para fazer um projeto arquitetônico sobre o tema da reciclagem”, explica. Os alunos projetaram um centro de trabalho completo com três edifícios : 1 – Galpão de triagem de material, com esteiras mecânicas, com capacidade de entrada de caminhões; 2 – Bloco de Apoio, com refeitório, oficinas de instrumento, marcenaria, creche, costura, atelier, lan house e centro de exposição de produtos e obras de arte com reciclagem.

3- Três lojas para a venda de produtos reciclados.

No trabalho, os alunos decidiram trocar a biblioteca por uma creche. “Muitos catadores não sabiam ler ou escrever e os que sabiam enfrentavam duras jornadas de trabalho e a maioria não teria, portanto, tempo hábil para desfrutar da biblioteca. O espaço seria mais bem aproveitado se o destinássemos a uma sala onde as mães pudessem deixar as crianças após a escola, sob os cuidados de outra mãe da cooperativa, já que elas trabalham em um sistema de autogestão coletivo e integrado”, escrevem os alunos na monografia.

O TCC foi divido em três frentes, de acordo com sua aplicabilidade. A primeira é um embasamento teórico e amplo, que pode ser aplicado a qualquer cooperativa. A segunda parte é um levantamento técnico sobre os diversos modelos que podem ser aplicados e a terceira trata do projeto em si, com plantas e maquetes.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone