by

Recuperação? Fui Mal Na Prova

Por Nivea Carvalho Fabrício

Recuperação escolar – “Embora a prova seja às 8h da manhã e eu desesperado acorde às 5h da manhã para estudar, pois penso que a prova ia ser semana que vem, não me organizei e etc. , sei que a culpa é minha, mas preciso de ajuda!

Fico muito triste, muitas vezes estudo e pego recuperação. Tiro nota baixa. Nessas situações, o que faço? Preciso de ajuda. Não me organizo com os conteúdos que os professores passam. Alguns até me entendem e têm paciência para me ajudar, outros não.

Sou jovem, quero ir ao cinema, passear, estar com os amigos, mas não consigo mais…  Mas também não consigo ter sucesso na escola também! E aí me torno cada vez mais infeliz! Não quero mais viver assim! Sozinho não consigo solucionar… Preciso se ajuda!”

Esse é um depoimento de um jovem adolescente de 16 anos que vive um cenário cada vez mais repetitivo em tempos atuais. Não consegue o sucesso almejado por ele na vida acadêmica frustrando familiares e a própria instituição escolar. Tem dificuldades de viver sua juventude em virtude de “correr atrás para recuperar suas notas” e cada dia mais grita por ajuda.

Muitas vezes a ajuda recebida é o investimento em mais horas de estudo, mais conteúdo, sem se fazer uma reflexão na forma em que esse estudo está sendo passado, ministrado para esse estudante. Não se faz uma reflexão que vá ao encontro do perfil desse estudante, da sua modalidade de aprendizagem, seus centros de interesse, seu funcionamento pessoal, enfim, de suas singularidades.

Há de se pensar no indivíduo. Quando esse jovem pede ajuda no depoimento acima ele nos diz: “Olhe para mim! Preciso que me veja como sou e como aprendo!”

Um importante aspecto é tentar ver a situação de crise como uma oportunidade. Oportunidade para parar, pensar e realinhar rotas. O caminho percorrido até agora não foi eficaz. Que tal trilhar um novo caminho, com novas condutas e estratégias?

Ao iniciar o realinhamento dessa nova rota, é importante  que sejam feitas perguntas: Qual o motivo das notas ruins? O que faz com que o aluno tire essas notas? Porém, somente uma equipe especializada poderá respondê-las. Essas respostas serão o caminho para o novo trabalho em busca de sanar os entraves.

A equipe do Colégio Graphein é formada por profissionais especializados e permanentemente capacitados para a realização desse trabalho. A partir de uma detalhada avaliação psicopedagógica, elaboramos para cada aluno um Projeto Singular que irá ao encontro de contemplar todos os aspectos necessários para esse “novo olhar”.

Cabe ressaltar que o aluno com esse histórico de frustrações é um aluno “sofrido”. Sua autoestima, sua autoimagem estão comprometidas. Não se enxerga como alguém capaz de ir em frente. O trabalho com os aspectos emocionais é primordial para que possa dar cialis belgique suporte ao trabalho psicopedagógico que acontecerá.

Ter confiança, acreditar e ser acreditado faz toda a diferença!

Nívea Carvalho Fabrício é psicóloga, psicopedagoga e diretora geral do Colégio Graphein, em São Paulo

Fonte: Fui Mal Na Prova

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone