by /0 comments

Rio Grande do Norte pede ajuda do MEC para pagar o piso; professores estão em greve

De acordo com o sindicato dos professores, o salário de um docente em início de carreira é de R$ 739,00. O piso é de R$ 1.187,00.

A governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini (DEM), pediu ao ministro da Educação, Fernando Haddad, ajuda para pagar o piso salarial nacional dos professores, durante audiência na quarta-feira, dia 4 de maio. “Sem o apoio do governo federal, o governo não tem como cumprir o piso salarial nacional do professor”, afirmou ela ao jornal Tribuna do Norte.

Atualmente, os professores do Estado estão em greve por melhores salários e condições de trabalho. De acordo com o sindicato dos professores, o salário de um docente em início de carreira é de R$ 739,00. O piso recomendado pelo MEC é de R$ 1.187,00.

A governadora pediu uma revisão nos critérios de complementação do Fundeb e a inclusão do Estado entre os beneficiados. Hoje, o MEC repassa recursos dos fundo apenas para nove Estados – Bahia, Alagoas, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí Amazonas e Pará.

A secretária de Educação, Betânia Ramalho, disse que “sem as condições para o piso salarial não há como negociarmos” com os professores em greve.

O jornal usa informação da secretaria para noticiar que o Rio Grande do Norte aplica 80% do Fundeb no pagamento de pessoal e 20% para custeio e investimento.

Em nota, a secretaria afirma que o cumprimento do piso representará um impacto de R$ 14 milhões na folha de pessoal. “Precisamos com urgência termos as condições para a implantação do piso salarial”, acrescentou a secretária estadual de educação.

A reportagem informa ainda que o ministro ficou surpreso ao saber que o Rio Grande do Norte não paga o piso nacional do magistério. Já a secretaria relata que Haddad “determinou, de imediato, que o secretário executivo do MEC faça os estudos necessários sobre o pedido de revisão do Fundeb”.

translator forСниппет: где выводитсяперсонажи комиксов