by /0 comments

Sem Lula e com TV, ministro abre Conferência de Educação e pede mais investimentos

Fernando Haddad disse ainda que garantir a qualidade e construir um plano de ações articulado entre União, Estados e Municípios são os principais caminhos para melhorar a educação pública

Mais investimentos, qualidade no ensino e um plano de ações articulado entre União, Estados e Municípios. Estes são os principais caminhos para melhorar a educação pública brasileira na visão do ministro da Educação, Fernando Haddad, exposta na abertura da 1ª Conferência Nacional de Educação Básica, segunda-feira à noite, em Brasília.

Esperado para participar da abertura, o presidente Lula não compareceu. A Conferência está sendo transmitida em tempo real, em caráter experimental, pela TV MEC.

Segundo a Agência Brasil, cerca de duas mil pessoas – representantes de escolas, professores, alunos, organizações de classe, movimentos sociais e trabalhadores em educação de todo o país – participarão dos debates que começam nesta terça-feira e vão até a próxima sexta-feira.

Na opinião do ministro, um plano nacional evitará a descontinuidade nos programas educacionais nos Municípios e nos Estados. “Esse novo instrumento de gestão permite que possamos celebrar convênios multidimensionais com estados e municípios, enfrentando os problemas educacionais em várias frentes”, disse.

Haddad acredita que este sistema nacional poderá “resgatar o verdadeiro sentido da educação, reforçando o ciclo de aprendizagem, desde a creche até a universidade”.

Ele defendeu o aumento dos recursos destinados à educação para um percentual equivalente à 6% do Produto Interno Bruto (PIB), taxa que os organismos internacionais recomendam para os países em desenvolvimento. O Brasil investe hoje cerca de 4% do PIB.

O ministro destacou a participação dos vários segmentos da educação na Conferência. “O maior mérito do nosso governo é o de ouvir humildemente a sociedade e tentar buscar soluções para o maior desafio do país que é a melhoria da qualidade da educação básica brasileira. Estamos aqui para ouvir”, disse.

Para a secretária de educação básica do MEC, Maria do Pliar Lacerda, a maior contribuição da conferência é consolidar a idéia de que educação deve ser uma política de estado. “Não há como começar do zero a cada novo governo. Seja qual for o governante, o mais importante é que as crianças brasileiras possam contar com uma escola pública de qualidade”, disse.

Segundo o coordenador-geral da conferência, Francisco das Chagas, é um marco da integração nacional. “Temos aqui representantes de todos os estados e isso é uma conquista da educação. Conseguimos reunir todos os interessados para discutir os novos rumos educacionais do país”, afirmou.

Acompanhe a Conferência ao vivo pela TV MEC

atlant сма 70 с 107 000подводкаігри для хлопчиків 5 років