by /0 comments

Sindicato dos professores vai à Justiça contra governador de Sergipe

Ação é um protesto pelo fato de Marcelo Déda não aplicar a lei do piso salarial nacional do professor
O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica de Segipe (Sintese) protocolou no Tribunal de Justiça uma ação contra o governador Marcelo Déda (PT), nesta quinta-feira, dia 19. De acordo com nota do sindicato, a ação é um protesto pelo fato de o governador não aplicar a lei do piso salarial nacional do professor, julgada constitucional pelo Supremo Tribunal Federal. A categoria marcou uma greve para a próxima segunda-feira, dia 23.

O Sintese pede na ação a revisão imediata da proposta de lei que condiciona o pagamento do piso à extinção da carreira de professor do nível médio.

“O governo de Sergipe descumpre a lei claramente e nós vamos acionar a justiça para que nosso direito seja garantido”, disse a vice-presidente do sindicato, Lúcia Barroso.

Na ação, os professores também denunciam o “estado deplorável” das escolas, o déficit de professores em várias disciplinas “devido a falta de planejamento e incapacidade do poder público em ter um quadro atual dos docentes”, além da adoção de sistemas educacionais da iniciativa privada, “como Alfa e Beto Se Liga e Acelera”, entre outros.

Os professores também protocolam esta semana um ofício na Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, a fim de discutir com os deputados estaduais as propostas apresentadas pelo governo, informa o Jornal da Cidade.

O diretor do sindicato, Roberto Silva, disse que o governador quer reajustar o salário dos professores de nível médio para 15,85%, enquanto os demais níveis (superior, pós-graduado, mestre e doutor) seriam beneficiados com 5,7%. “Existe no Estado 300 professores de nível médio, enquanto há mais de 11 mil de nível superior”, disse o sindicalista.

Pela proposta do governo, o nível médio seria extinto em 2012. “Ele quer concurso só para quem tem nível superior. Como ele pode acabar com o nível médio se este é a referência para os demais?”, afirmou.

Segundo o jornal, os cálculos de reajuste dos professores da rede estadual são feitos com base nos vencimentos de educadores com formação de nível médio. Quem tem nível superior ganha 40% a mais, assim como quem tem pós-graduação recebe 50% a mais.машинки на пультукак взломать wi fibrand