UNE prepara propostas de combate à violência entre jovens - CGC Comunicação em Educação
  by /0 comments

UNE prepara propostas de combate à violência entre jovens

União Nacional dos Estudantes denuncia tentativa de criminalizar a juventude.
une-preparaGustavo Petta, presidente da UNE

Os rumos do debate sobre a violência no Brasil estão preocupando o presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Gustavo Petta. Na opinião dele, a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos não reduzirá a criminalidade envolvendo jovens. “Estão querendo criminalizar a juventude. A juventude tem que ter algo a perder. Hoje, muitos jovens infratores não tem nem medo da morte”, disse. Segundo ele, a UNE está preparando uma série de propostas para ajudar o poder público e combater a violência entre os jovens.Entre as idéias, Petta cita a integração dos diversos programas federais voltados à juventude, como o ProJovem (http://www.projovem.gov.br/), a educação profissionalizante, o financiamento estudantil e ainda uma programa para reduzir a evasão nas universidades. “O jovem precisa ter perspectiva de ascensão social. O Brasil precisa de planos que tornem o jovem protagonista de suas ações”, afirma o presidente da UNE.

PAC da Educação – Gustavo Petta elogia o Plano de Desenvolvimento da Educação, lançado pelo governo federal no início de março, mas ressalta que a UNE vai lutar para criar mecanismos que mantenham o aluno na universidade e facilite a obtenção de financiamentos. “Este ano, 40 mil estudantes ficaram de fora do programa de Financiamento Estudantil, o FIES (http://www3.caixa.gov.br/fies/), não por falta de demanda, mas em virtude dos critérios muito rígidos para a concessão do benefício, como a exigência de fiador e o curto prazo para o pagamento”, afirma.

O presidente da UNE reconhece que o programa Primeiro Emprego do governo Lula fracassou e cobrou mais comprometimento das empresas. Para ele, muitas empresas recusaram participar do plano porque não queriam abrir suas contas, já que o programa exigia transparência. Ele acredita que a criação de novas escolas técnicas e a melhoria do ensino profissionalizante poderão dar os estudantes maiores chances de conseguir um emprego mais rapidamente.

Fundeb – O presidente da UNE disse que está acompanhando de perto no Congresso a regulamentação do Fundeb e promete fiscalizar o repasse das verbas para os Estados e os municípios. Segundo ele, a UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas) está se preparando nos municípios para evitar que o dinheiro do Fundeb seja desviado.

Gustavo Petta reconhece que a prioridade atual da educação brasileira é o ensino básico, mas alerta que o ensino superior precisa ser integrado. “Não podemos tratar a educação de forma fragmentada. A qualidade da educação só será alcançada com uma visão completa de todo o sistema”, diz.

Reforma Universitária – Gustavo Petta admite que a Reforma Universitária está bastante atrasada, mas disse que está otimista com a aprovação. Ele culpou a troca de legislatura pelo atraso na tramitação. Segundo ele, o projeto é bom, mas precisa de alguns ajustes, principalmente na questão do ensino privado. “O Estado precisa manter um controle maior das universidades privadas para obter garantias de um ensino de qualidade”, diz.

Ele nega que esteja defendendo uma intervenção no setor “As universidades particulares continuarão com total autonomia”, afirma. Para o presidente da UNE, no entanto, é preciso criar mecanismos e critérios que garantam regras qualidade, como, por exemplo, produção de pesquisa. “Nós achamos que o ensino superior deve ser regulado pelo Estado, não pelo mercado”, afirma.

стоимость паркетmedical device translation servicesалкогольные напитки