by /0 comments

Universidades federais lançam programa de R$ 27 bilhões para expansão e internacionalização

O Ministério de Ciência e Tecnologia garantiu que o governo federal “apoiará decididamente” a proposta
Um programa com 20 diretrizes para promover a expansão e a internacionalização das 59 universidades federais, calculado R$ 27,2 bilhões foi apresentado na última quarta-feira, dia 18, pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).

A projeto será encaminhado ao governo federal com o objetivo de suceder o Programa de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni).

“Estamos construindo junto ao Ministério da Educação alguns caminhos para que esta proposta seja levada à presidente da República. A proposta resume qual expansão das universidades os reitores acham factível para os próximos anos”, afirmou o presidente da Andifes, João Luiz Martins, de acordo com informações da Universidade Federal de Brasília.

Os reitores estimam que o investimento necessário para o programa seja de 7,5% do total repassado para as federais em 2012 – o que equivale a R$ 27,2 bilhões.

Presente ao encontro, o secretário-executivo do Ministério de Ciência e Tecnologia, Luiz Antônio Elias, disse que o governo federal “apoiará decididamente” a proposta. Segundo ele, o programa “está em consonância com o projeto do governo de integrar em uma única estratégia nacional a Educação Superior e a Ciência e Tecnologia”.

Diretrizes

Entre as diretrizes do Programa para Expansão, Excelência e Internacionalização das Universidades Federais, para o período entre 2013 e 2017, estão ampliar o financiamento do sistema de educação a distância; intensificar as atividades de extensão em áreas carentes, como alfabetização e segurança pública; aumentar as vagas de ingresso na graduação, especialmente no período noturno, e aumentar a oferta de vagas em cursos de mestrado e doutorado.

Também estão previstos treinamento e educação continuada para o pessoal técnico-administrativo e a implantação de indicadores para acompanhamento e avaliação de resultados acadêmicos e de gestão administrativa.

“Com essa proposta cumprimos o mesmo papel que desempenhamos em 2003, quando apresentamos plano que serviu de base para elaboração do Reuni”, afirmou João Luiz.

Pendências do Reuni

Os reitores também decidiram fazer um levantamento das pendências do Reuni para negociar a repactuação do orçamento junto ao MEC e pressionar pela contratação de professores e servidores.

O reitor da UnB, José Geraldo de Sousa Junior, explicou que as “pendências, como dificuldades de relacionamento com as empresas contratadas para executar as obras, serão contempladas no levantamento”.

Os reitores solicitaram ao secretário de Ensino Superior do MEC, Amaro Lins, que a contratação de pessoal correspondente a vagas que serão criadas pelo Projeto de Lei 2.134/2011 possa ser feita agora, a partir dos concursos já realizados.

Segundo a assessoria de comunicação da UnB, o projeto está em tramitação na Câmara dos Deputados e tem apoio do ministro da Educação, Aloizio Mercadante. Estão previstas a criação de 71.589 cargos efetivos, sendo 19.569 de professores de 3º Grau e 27.714 para técnicos administrativos, além de 5.589 postos de direção e funções gratificadas. “Temos urgência na aprovação do PL para que possamos fechar o Reuni com chave de ouro”, afirmou o presidente da Andifes.полигон оообаза данных клиентовтамбов стапели