Aprendizado por projetos se consolida

Com a promessa de desenvolver os alunos de maneira integral – e não apenas o lado cognitivo –, cada vez mais colégios passaram a incluir em currículos o trabalho por projetos. Embora estejam quase onipresentes nas escolas atualmente, tanto particulares como públicas, há formas muito variadas de serem aplicados e pesos bem diferentes na proposta pedagógica. Colégio Equipe e Escola Nossa Senhora das Graças (Gracinha) foram fontes desta reportagem do Estadão.

https://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,aprendizado-por-projetos-se-consolida-nas-escolas,70003445795

Apesar de ter ganhado relevância nos últimos anos, o ensino por projetos é tradicional em alguns colégios da capital paulista, como o Gracinha, que na década de 1990 já era uma referência no tema. “Projeto traz uma abordagem multidisciplinar, que permite mais interação. Mas nem tudo cabe em um projeto. Temos momentos de aula expositiva, de aula invertida”, afirma Ligia Mori, diretora pedagógica da escola. 

No Equipe, a função dos projetos é tirar o alunos da zona de conforto. “No 2.º ano do médio, estudam a agroindústria. Antes da pandemia, eles iam a Ribeirão Preto visitar uma usina de cana, conversar com trabalhador rural, com responsável por indústria de alimentos, iam a acampamento de sem-terra. Isso envolve todas as disciplinas: inclui de Geografia a Química, de Filosofia a Biologia”, diz Luciana Fevorini, diretora da instituição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *