Unicamp está entre as 50 melhores universidades dos países de economia emergente, segundo ranking THE

De acordo com o ranking Times Higher Education (THE) divulgado nesta segunda-feira (9), a Unicamp encontra-se entre as 50 melhores universidades dos países com economia emergente. Mais de 600 universidades foram avaliadas. Na América Latina, a Unicamp ocupa a segunda posição e a Universidade de São Paulo (USP) a primeira. Entre as dez primeiras colocadas do Brasil, nove são instituições de ensino superior públicas.

No ranking das economias emergentes de 2021, 606 instituições de 48 países foram classificadas. “Estamos entre as top 50. É um feito importante que mostra a posição de destaque da Unicamp e das universidades paulistas no Brasil e na América Latina”, avalia o reitor da Unicamp, Marcelo Knobel. 

Em relação ao ano passado, a Unicamp subiu sete posições, passando de 55º para 48º lugar. Para o reitor da Unicamp, há uma flutuação natural entre um ano e outro. Por isso, mais que a melhora na posição, é importante destacar que novamente as universidades públicas ocupam lugar de prestígio. “São universidades públicas e de qualidade que estão entre as melhores universidades de países emergentes, o que é muito importante”, afirma. 

O ranking 

A Times Higher Education (THE) é uma revista britânica voltada à área de ensino superior. O ranking da THE utiliza como critérios de análise parâmetros nas áreas de ensino, pesquisa, citações, transferência de conhecimento e internacionalização. No ranking para países de economia emergente, são levados em consideração tanto aqueles classificados como emergentes avançados, como no caso do Brasil, quanto os classificados como emergentes secundários e de fronteira. 

audiodescrição: ilustração colorida com fundo verde e os dizeres indicando a 48ª posição da UNicamp no ranking Times Higher Education, que avaliou 606 universidades

Originalmente publicado em...